Publicações

13/09/2017

O que esperar para a próxima safra

Empresas lançam leque de produtos para atender as necessidades dos produtores, principalmente em relação ao melhor controle de pragas e doenças

O que esperar para a próxima safra

Uma série de novidades chega ao mercado para o produtor fazer a melhor escolha na próxima safra. Os lançamentos prometem eficiência contra a ferrugem da soja, ervas daninhas e nematoides, proteção contra insetos na cultura do milho, além de novidades em tratamento de sementes.

Uma das preocupações que ainda tira o sono do produtor é a ferrugem da soja - causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi, que causa amarelecimento das folhas e perdas de produtividade. Para o combate da doença, a TMG lançou a tecnologia Inox, que traz à planta resistência à ferrugem da soja e alto potencial produtivo. Segundo Francisco Soares, diretor-presidente da empresa, existe hoje no portfólio oito cultivares de soja com a Tecnologia Inox®, adaptadas para diversas regiões produtivas. As primeiras cultivares com a Tecnologia Inox® foram lançadas em 2008 no Cerrado e em 2011 no Sul. “Os genes nas cultivares Inox® garantem segurança no controle da doença que, junto com outras medidas de manejo, contribuem para maior estabilidade e potencial de produção na cultura da soja”, afirma.

Para as próximas safras, Soares acredita que a tendência é de cultivares que ofereçam a possibilidade de duas safras no mesmo ano agrícola. “Essa é uma prática que vem aumentando muito na maioria das regiões produtoras brasileiras, sem perda de produtividade- ou com o mínimo possível de perda - para quem fizer essa intensificação de plantio”, observa. Para ele, outra tendência é a utilização de resistências inerentes na própria planta (transgênica ou não) para facilitar e melhorar o controle de ervas daninhas, doenças e insetos, sem prejuízo da produtividade.

Ainda para o combate à ferrugem da soja, o fungicida da BASF Ativum – utilizado pela primeira vez na safra 2016/17 – promete proteção efetiva do cultivo da soja. De acordo com Sergio Zambon, gerente sênior de Desenvolvimento de Mercado da BASF, o fungicida é eficiente no controle da ferrugem asiática e de outras doenças importantes como oídio, crestamento-foliar, mancha-parda, mancha-alvo, antracnose e mela. É recomendado também para o controle da ferrugem-tropical no milho, mancha-amarela e ferrugem-da-folha no trigo, entre outras culturas.

Segundo Filipe Romano, gerente de Marketing de Sementes de Soja da Bayer, as novidades para a safra2017/18 são as cultivares de soja coma marca Credenz: CZ48B32 IPRO – uma variedade extremamente agressiva em potencial produtivo focada no mercado do Cerrado e a CZ26B42IPRO - com foco no Sul do País, principalmente regiões quentes.

Além das novas variedades, a Bayer aposta no aumento das vendas com a soja Liberty Link, uma tecnologia inserida nas sementes, que permite o uso seletivo do herbicida à base de glufosinato de amônio. É uma tecnologia para o controle de plantas daninhas, que comprometem a produtividade da soja por competir diretamente por espaço, luz, água e nutrientes. “No Brasil há ainda crescentes problemas de plantas daninhas resistentes aos herbicidas disponíveis no mercado”, afirma Romano.

“Na safra passada tivemos a primeira safra comercial de soja Liberty Link. Produtores do Rio Grande do Sul, situados na região de Passo Fundo, um grande polo agrícola do País, tiveram resultados de colheita acima da média. Agricultores que costumam colher 50sacas/ha, colheram em torno de 75 sacas/ha. Ou seja, além de contar com variedades de alto potencial produtivo, o produtor ainda teve um melhor controle das plantas daninhas”, avalia.

Com um investimento global demais de 500 milhões de euros em pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias para a proteção de cultivos, a BASF lançou este ano o inoculante biológico Granouro. Entre os benefícios, o Granouro oferece mais flexibilidade ao sementeiro, pois a vida útil na armazenagem é maior (até 45 dias). “O produtor também irá otimizar recursos e terá agilidade no momento do plantio com a utilização do inoculante. É só abrir o saco de sementes, abasteceras plantadeiras e começar o plantio”, destaca Zambon.

Em relação aos resultados, o Granouro será usado comercialmente pela primeira vez na próxima safra. “Então teremos resultados dos testes e das áreas demonstrativas. O Granouro é uma ferramenta importante para a fixação de nitrôgenio e um manejo inicial para assegurar boa rentabilidade da soja”, diz o gerente da BASF.

Em relação às tecnologias, a Monsanto manterá para a próxima safra a Intacta RR 2PRO ®. Segundo Vinicius Faião, líder de soja da Monsanto para o Brasil, as novidades estão em germoplasmas das marcas Monsoy e Agroeste. Da Monsoy, as novas variedades são M5705 IPRO– recomendada para o Estado do Paraná, variedade precoce com bom potencial produtivo; M5838 IPRO– variedade recomendada para as áreas altas do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, que oferece boa arquitetura de planta, resistência ao acamamento e resistência à fitóftora; M7198 IPRO – variedade precoce recomendada para o Cerrado brasileiro, primeira variedade IPRO com resistência aos nematoides de cisto (raça 1 e 3) e galha (Meloidogyne incognita)e também ao acamamento.

Para a marca Agroeste, os lançamentos são: AS3680 IPRO – variedade de ciclo precoce recomendada para o Cerrado, com bom potencial produtivo e AS3590 IPRO– variedade recomendada para o Sul do Brasil, com alto teto produtivo. “Atualmente, o sojicultor busca no campo a segurança oferecida por uma genética de qualidade, consolidada e confiável, desenvolvida e testada em diferentes situações e realidades, possibilitando variedades melhor adaptadas a sua região de plantio e de acordo coma sua necessidade. Por exemplo: ciclo, sanidade, resistência a nematoides, população para expressar o máximo do teto produtivo”, afirma Vinicius Faião.

A DuPont Pioneer lançou híbridos de milho com a tecnologia Leptra de proteção contra insetos,associando tecnologias AgrisureViptera, YieldGard, Herculex I e LibertyLink, e auxiliando no controle das principais lagartas que atacam a cultura do milho.

Para a safra de milho verão 2017/18, a DuPont Pioneer traz um volume ainda maior de híbridos de milho com a tecnologia Leptra, além de novas bases genéticas e os benefícios do Tratamento de Sementes Industrial com Dermacore Poncho® para grande parte de seus materiais.

“A empresa lança no mercado o P3898, um híbrido de ciclo precoce, de porte médio, excelente enraizamento, folhas eretas, grãos semiduros alaranjados e com alto nível de resistência às principais doenças como ferrugem polissora, mancha-branca, fusarium, completo de mosaico e corn stunt”, afirma Jerson Grieco, gerente técnico de Produto da DuPont Pioneer. O híbrido P3898é recomendado para plantios no Paraná, regiões Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste do Brasil, podendo ser plantado no verão e safrinha.

A Sementes Biomatrix e a Santa Helena Sementes, marcas do GrupoAgroceres, lançam para a safra 2017/18 um pacote com seis híbridos que englobam características como elevado potencial produtivo, estabilidade e precocidade. “Nosso principal negócio é o milho e temos realizado investimentos importantes em pesquisa, unidades, laboratórios e profissionais para assegurar alto padrão de qualidade. Com isso obtemos híbridos cada vez mais produtivos que, combinados com boas práticas de manejo, trazem ao produtor mais estabilidade com maior produtividade”, diz o diretor-superintendente da Agroceres, Claudio Prates Zago.

Quatro lançamentos da empresa vieram para auxiliar no aumento da produtividade e tolerância às doenças. Dois produtos que contam coma tecnologia Pro 3 (BM 950 Pro 3 e BM 780 Pro 3) trazem segurança em relação à produtividade da safrinha e são feitos para proteger a lavoura de pragas, principalmente contra a larva-alfinete.

A Sementes Biomatrix lança o BM 950 Pro 3, híbrido superprecoce para verão e segunda safra com boa sanidade e arquitetura foliar,proporcionando produtividade com aumento de população nos plantios adensados. Indicado para produção de grãos e silagem de grão úmido, apresenta alta tolerância a ferrugem polissora. Chega ao mercado também o BM 780 Pro 3, de alta estabilidade produtiva, com grãos duros laranja-avermelhados considerados de excelente qualidade e densidade. Tolerante às principais doenças foliares e de colmo, aliado a uniformidade de espigas que proporcionam alta produtividade de grãos, é indicado para silagem de grão úmido. Apresenta alta tolerância à ferrugem polissora, feosféria e cercóspora.

Outros híbridos são: BM 855 Pro2, cuja estabilidade e ampla adaptação fazem dele uma ótima opção para verão e segunda safra. Seus grãos graúdos e semidentados de fácil debulha o qualificam como híbrido para dietas de grãos inteiros e/ou para silagem de grãos úmidos, segundo a empresa. O BM 3063 Versão Convencional, voltado à produção de silagem de milho de alta qualidade, tem grãos dentados, destaca-se pela qualidade de fibra e janela de corte estendida e é indicado para silagem de planta inteira e de grão úmido.

Já a Santa Helena Sementes lança o SHS 7910 Pro 3, que garante estabilidade na abertura de plantio,alta produtividade e ótima qualidade de grãos, além de alta tolerância à ferrugem polissora e cercóspora. É recomendado para produção de grãos, silagem de planta inteira e de grão úmido. O SHS 7939 Pro2tem como característica a superprecocidade com ampla adaptação em plantios verão e safrinha e alto potencial produtivo. Possui alta tolerância à ferrugem polissora e feosféria e é recomendado para produção de grãos, silagem de planta inteira e de grão úmido.

ALGODÃO

A TMG também leva ao mercado para a próxima safra a tecnologia RX,desenvolvida pela empresa, que confere tolerância à ramulária, uma das principais doenças que atacam o algodão no Brasil e a principal na região de Cerrado. As cultivares com essa tecnologia permitem redução significativa do número de aplicações de fungicidas, quando comparadas com cultivares suscetíveis, que pedem, em média, cerca de nove aplicações. “A adoção de cultivares RX permite mais segurança ao produtor, pois facilita o manejo da ramulária e evita que a doença atinja níveis de severidade que possam comprometer a produtividade da lavoura de algodão. Além das três cultivares no portfólio, temos mais um pré-lançamento nesta safra que vem com o benefício”, diz Soares, diretor-presidente da empresa.

SEMENTES

Outra área que traz novidades para a próxima safra é a de tratamento de sementes. A UP L lança o inseticida Start, registrado para as culturas de soja, milho, arroz, algodão, feijão, cevada, pastagens e trigo. O produto protege a semente do ataque das principais pragas das culturas sem prejudicar a germinação e vigor da lavoura.

Segundo Wagner Seara, gerente de Portfólio da UP L, o produtor deve fazer um levantamento de quais são as principais pragas e doenças que ele precisa controlar em sua lavoura. Depois disso, precisa buscar as soluções mais completas em tratamento de sementes, levando sempre em consideração a cultura a ser plantada e as pragas existentes em seu cultivo. “O agricultor está mais consciente sobre os riscos de não fazer um manejo correto. Ele sabe que para resguardar todo o investimento feito em sua lavoura, deve começar protegendo seu germoplasma”, afirma.

O Start é um inseticida à base de Fipronil, cujo modo de ação único altera o equilíbrio iônico no sistema nervoso central levando à morte das pragas. “O tratamento de sementes tem especialidade nas pragas iniciais, promovendo, assim, a garantia de estande nas lavouras brasileiras. O produto reforça a importância de um manejo inteligente de pragas, desde a fase inicial no tratamento de sementes até as aplicações foliares”, diz Rafael Pereira, gerente de Inovação e Desenvolvimento.

Para Wagner Seara, o mercado de tratamento de sementes no Brasil cresce, principalmente, pelo aumento da área plantada de soja, milho, algodão, arroz, pastagem, culturas de inverno e feijão, além do aumento da taxa de adoção de sementes com biotecnologia. “Existem várias pragas que serão controladas como tratamento de sementes e é neste momento que o agricultor precisa começar a pensar no manejo. O Start é um inseticida que visa ao controle de pragas iniciais, sendo assim, é uma importante ferramenta para o início do manejo de resistência. A tendência para os próximos anos é o contínuo crescimento da demanda do produto”, avalia.

De acordo com Marcia Terzian, gerente da Bayer Seed Growth, área de tratamento de sementes da empresa, a proteção é um passo muito importante para que o produtor inicie bem sua lavoura explorando o máximo do potencial produtivo de cada cultivar. “Entendemos as necessidades e os desafios vividos pelos agricultores. Por isso, oferecemos mais uma ferramenta para que ele possa proteger a lavoura. Trata-se do Poncho Energy®, nova solução para o controle e manejo de pragas, oferecida via tratamento industrial em sementes de soja e composta por dois inseticidas”, explica.

Durante os ensaios de pesquisa na safra 2016/17, afirma Marcia, foi feito um comparativo do uso da solução Poncho Energy® com a testemunha (sem tratamento). As lavouras com Poncho Energy® apresentaram produtividade superior em 5 a 25%,confirmando a importância do tratamento de sementes. “O excelente arranque inicial e a alta eficiência no controle de pragas de solo e parte aérea são os pontos altos. A solução é eficaz contra alvos como a lagarta elasmo, o coró e o torrãozinho. Para testar a viabilidade de seu uso, a Bayer conduziu e monitorou 120 campos nos estados do Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins e Bahia”, diz.

Já a FMC Agricultural Solutions lança um produto que age biologicamente no tratamento de sementes e cria uma proteção efetiva contra os nematoides, favorecendo o desenvolvimento saudável da cultura. “As bactérias presentes no produto criam uma barreira física ao redor da raiz, o que dificulta a orientação e o reconhecimento do sistema radicular pelos nematoides. Por se tratar de um nematicida microbiano, o registro é realizado por alvo e pode ser indicado para o tratamento de sementes de qualquer cultura com a ocorrência de M. incognita e P. brachyurus. Neste primeiro momento, estamos ressaltando os benefícios do produto para as culturas de soja, milho, algodão e feijão”, diz Vinícios Faria, gerente de Marketing da FMC.

Presence é o primeiro nematicida microbiológico do mercado com registro para o tratamento de sementes. O produto atua por contato com múltiplos mecanismos devido à ação sinérgica das bactérias Bacillus subtilis e Bacillus licheniformis, o que promove mais sanidade da raiz no momento primordial para o sucesso do estabelecimento da cultura. A formulação específica para tratamento de semente nãoaumenta o volume de calda, possui estabilidade e a maior concentração do mercado, além de ser compatível com todos os produtos químicos utilizados hoje no tratamento de sementes.





Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.