Publicações

11/03/2016

Internet amplia negócios em Centrais de Abastecimento

Portal webCEASA rompe barreiras regionais e permite vendas em tempo real

Internet amplia negócios em Centrais de Abastecimento
Todos os tipos de público - de revendedores, consumidores em geral e empresas de alimentos, como restaurantes, supermercados e empresas de médio porte até pessoas físicas que procuram os itens disponíveis nas CEASAS – vêm sendo alcançados pelo portal webCEASA. Criado pelo Grupo Ferbras e lançado há pouco mais de um ano, o portal tem o intuito de melhorar o comércio em todo o país, inclusive desafogando o alto fluxo de veículos nas CEASAS, facilitando ainda mais as ofertas de compra e venda.

“Após anos vendo as dificuldades dos comerciantes de CEASAS, dos consumidores deste mercado e da própria estrutura existente, resolvemos promover uma ferramenta facilitadora, rompendo as barreiras regionais e físicas, e alcançar um maior público, através de um painel de controle no mercado brasileiro e internacional, permitindo-os vender seus vários produtos de forma mais rápida e atualizada em tempo real”, diz Vinicius Ferraz, presidente do Grupo Ferbras.

José Carlos Fonseca iniciou a produção de bananas há 40 anos com seu pai e há 16 tornou-se permissionário do CEASA. “As Centrais de Abastecimento apresentam um fluxo de caminhões cada vez maior, o que dificulta o aumento do número de clientes que vão até lá. Há ainda a demora para pesquisar e comprar produtos in loco”. Desde novembro de 2014 o produtor decidiu apostar nessa nova maneira de vender, mesmo sem nunca ter feito negócios pela internet até então. “Eu sentia que precisava aumentar o número de clientes. As dificuldades de trânsito, os horários e o rodízio vinham reduzindo a quantidade de compradores. Não tinha pensado ainda em investir em algo pela internet, mas hoje tenho a certeza de que isso fez a diferença, pois as vendas aumentaram", destaca o produtor, que conquistou clientes de outros estados onde antes não tinha contato. “Foi muito bom contar com uma nova forma de comercialização”.

A webCEASA é um ambiente restrito onde somente comerciantes que possuam instalações nos centros podem se cadastrar para anunciar seus produtos, sem intermediação na negociação e na forma de entrega. É uma ferramenta facilitadora, onde todas as ofertas diárias dos centros do Brasil podem ser acessadas pelo computador, celular ou tablet. “O acesso e o mecanismo são muito fáceis e o comerciante pode alterar, diretamente, o valor, a quantidade e as fotos dos produtos. A webCEASA fica responsável por enviar e-mails para todos os clientes com os classificados e o comerciante negocia diretamente com o cliente a quantidade e preço do produto ”, explica o produtor.

Diferente do e-commerce tradicional, o webCEASA não é um site de venda, e sim de relacionamento, um espaço para aproximar o comprador do vendedor. “O sucesso do Portal webCEASA é trazer para o mundo on-line as relações comerciais já existentes nas CEASAS, com agilidade, segurança e com menos desperdício de alimentos ”, afirma Vinicius Ferraz.

A nova plataforma de comercialização tem alcançado bons resultados “Fazemos pesquisas diárias com nossos clientes e possuímos um banco de dados com mais de 800 mil compradores por todo o Brasil. O retorno tem sido satisfatório”. No próximo semestre os classificados de produtos do portal também serão divulgados em um programa diário na TV, ao vivo.

Organização

As Centrais de Abastecimentos foram criadas na década de 60 em razão da necessidade de organização e aperfeiçoamento na distribuição de produtos. O volume de comercialização das CEASAS rende mais de R$19 bilhões por ano, sendo 40% obtidos na CEAGESP E CEASAS de São Paulo e 60% nas demais CEASAS do Brasil. Com o crescimento da produção no campo e do consumo, os entrepostos cada vez mais são exigidos em suas estruturas físicas.


Fonte: Revista KLFF - 11ª Ed.




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.