Publicações

23/06/2016

Agricultura Digital: Brasil é mercado relevante para empresas do segmento

Tecnologias desenvolvidas por empresas como a Climate Corporation - da Monsanto - e pela Adama Brasil - do grupo israelense Adama - buscam agregar valor aos negócios dos clientes

Agricultura Digital: Brasil é mercado relevante para empresas do segmento

Consideradas aliadas no aumento da produtividade da lavoura, as ferramentas digitais são cada vez mais usadas pelos produtores brasileiros com o objetivo de elevar a rentabilidade da atividade rural. De olho nesse mercado potencial, empresas de vários portes e nacionalidades, como a Climate Corporation e Adama Brasil, apostam no país para investir no desenvolvimento de tecnologias que agreguem valor aos produtores locais.

“Fora dos Estados Unidos, o Brasil é um dos mercados prioritários de expansão para a Climate Corporation”, afirma Mateus Barros,  líder da Climate Corporation para a América do Sul. Para  barros, o produtor  brasileiro é extremamente inovador e tem mostrado grande interesse  em ferramentas digitais.  “Cerca de 90% dos produtores têm acesso à internet, mais de  50%  possuem  monitores  de colheita e mais de 40%, monitores de plantio”, enumera.

Segundo ele, a empresa norte-americana – que tem por objetivo oferecer ferramentas digitais para o agricultor tomar as melhores decisões em relação às suas operações – está fazendo “investimentos significativos” em pesquisa e desenvolvimento (P&D) para determinar quais ferramentas trarão mais valor para o produtor brasileiro, com o objetivo de lançar a sua plataforma de agricultura digital field-view no país dentro dos próximos anos.

Conforme o líder, a Climate Corporation, adquirida em outubro de 2013 pela Monsanto, quer desenvolver ferramentas digitais desenhadas especificamente para o produtor brasileiro, de forma a auxiliar a captura e a visualização de dados específicos de sua fazenda.

“A empresa está, atualmente, em teste da plataforma field-view, que auxilia o produtor rural a capturar e armazenar dados de produção de soja e milho específicos de um talhão. Nosso foco é prover soluções integradas e amigáveis que auxiliarão produtores a aumentar a eficiência e sustentabilidade de suas operações.”

Fundada  nos  estados  unidos em 2006, inicialmente com o nome de Weather Bill, a Climate comercializa seus produtos apenas para o mercado norte-americano, mas outros territórios estão sendo analisados pela empresa, como o Canadá.

“Nos estados unidos, os produtores têm adotado a plataforma de agricultura digital da Climate em mais de  30  milhões  de  hectares. Nós também esperamos expandir nossa plataforma em um número significante de hectares no brasil.”

Aplicativo para celulares e tablets
Um  aplicativo  gratuito  para smartphones e tablets, compatível com os sistemas operacionais iOS e Android, com um banco de fotos e informações referentes às principais doenças, plantas daninhas  e pragas que atacam as principais lavouras do país, já conta com mais de 63 mil usuários dos mais variados públicos. 

Desenvolvido pela Adama Brasil e lançado em outubro de 2014, o Adama Alvo tem como usuários os  produtores  rurais.  “Porém,  o nosso aplicativo atende também vendedores de distribuição, cooperativas, estudantes de agronomia e até agrônomos de outras empresas, sendo que mais da metade  dos usuários estão concentrados em São Paulo, Goiás, Paraná, Rio Grande do Sul e Mato Grosso”, diz Roberson Marczak, gerente de inovação da Adama Brasil, do grupo israelense Adama, empresa global do setor agroquímico presente em mais de 120 países.

Esse aplicativo, conforme a empresa, permite ainda a interação com a equipe de agrônomos da Adama para que o usuário possa receber mais informações sobre os alvos que não forem encontrados no aplicativo, por meio do envio de fotos e dúvidas. “A Adama já recebeu mais de 900 solicitações para identificar problemas na lavoura e indicar a melhor solução para tratamento. Muitas solicitações são referentes a problemas nutricionais ou de fitotoxicidade que são confundidos com doenças das culturas.”

O gerente de inovação observa que existem alguns aplicativos similares no mercado nacional, porém,  bastante  específicos  para cada cultura e tipo de alvo. “O Adama Alvo é o único aplicativo da agricultura brasileira voltado para quatro grandes culturas (algodão, soja, milho e trigo) e com uma gama de mais de 110 alvos. O diferencial está na proximidade que o agricultor pode ter com os agrônomos da empresa de forma simples e rápida.

O desenvolvimento dessa ferramenta levou cerca de um ano, considerando o tempo para formar o banco de dados e informações.
Os nossos agrônomos e consultores foram essenciais para compor o conteúdo da ferramenta.” A meta para este ano, antecipa Marczak, é atingir 120 mil usuários e expandir o banco de dados para as culturas de cana e café no segundo semestre. “Como existem muitos usuários que solicitam novas culturas dentro do banco de dados, vamos expandir o Adama Alvo e ainda lançar outro aplicativo voltado para as culturas de hortifrutis esse ano.”

Para o gerente, cada vez mais, os produtores brasileiros estão investindo em tecnologia no campo porque essas ferramentas são grandes aliadas ao aumento da produtividade da lavoura e tornam a vida deles mais simples.


Fonte: Revista KLFF - 12ª edição





Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.