Notícias

18/06/2020 - Clima

Tempo: inverno terá onda de frio tardia; entenda o impacto


O inverno começa neste sábado, 20. Apesar de a previsão do tempo indicar temperaturas acima da média, os produtores devem ficar atentos às ondas de frio, alerta o meteorologista Celso Oliveira, da Somar. A tendência é termos apenas duas fortes ondas de frio entre julho e agosto. O grande espaçamento entre os eventos deixará a temperatura mais elevada que o normal no Sul, Centro-Oeste e boa parte do Sudeste.

Por outro lado, há uma expectativa de frio intenso no início de setembro, em um momento em que as baixas temperaturas podem prejudicar o trigo que estará prestes a ser colhido no Sul. Além disso, esse frio tardio pode atrasar também a instalação do milho verão no Rio Grande do Sul. “Não podemos esquecer que além dessa onda de frio tardia, as chuvas podem também demorar para se regularizar por conta do oceano Pacífico mais frio”, diz Oliveira.

Comparando com o ano passado
No ano passado, o frio demorou a chegar. Junho de 2019 foi mais quente que o normal em boa parte do Brasil. Já neste ano, o frio vem aparecendo desde abril. Em junho, no entanto, apesar do início do mês com temperaturas baixas, a média da primeira quinzena ficou acima do normal. Os maiores desvios são registrados no Paraná e São Paulo, com temperaturas 5 °C acima das médias tanto na mínima como na máxima.

As temperaturas dos próximos dias
No Sul, após muito frio, a temperatura fica acima da média nos últimos dias do outono. O desvio chega aos 5 °C no oeste do Rio Grande do Sul. Não é nenhum calor extraordinário, já que estamos perto do inverno, mas em Uruguaiana esperam-se mínimas próximas dos 20°C e máximas de até 27°C até terça-feira da semana que vem. Nos últimos dias de junho, a temperatura vai diminuir em todo o Sul, mas ainda não há indicativo de frio extremo.

No Sudeste, enquanto São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo passam por um período de temperatura mais elevada que o normal, o norte de Minas Gerais registra temperatura mais baixa. Na capital paulista, os termômetros variam entre 14 °C e 24 °C até a quarta-feira da semana que vem. No Rio de Janeiro, apesar de madrugadas frias com aproximadamente 16 °C, as tardes devem apresentar máximas próximas dos 30 °C. Na contramão está Montes Claros com temperatura mais baixa que o normal. A máxima não passa dos 22 °C nesta quarta-feira, 17. Nos últimos dias de junho, a temperatura diminui em todo o Sudeste, mas não há previsão de frio intenso.

No Centro-Oeste, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul estão com temperaturas mais baixas que o normal, até o Distrito Federal passa por um período mais frio que a média. Em Campo Grande (MS), os termômetros variam entre 17 °C e 29 °C. Já em Brasília, a temperatura máxima não passa dos 23 °C até amanhã. Nos últimos dias de junho, a temperatura também diminui em todo o Centro-Oeste, mas não há previsão de frio intenso.

No Nordeste, enquanto as capitais permanecem sob temperatura acima da média, faz frio no interior dos estados do Ceará, Piauí, Maranhão e Bahia. Em João Pessoa (PA), a temperatura oscila entre 23 °C e 30 °C pelos próximos 15 dias. Por outro lado, a máxima não passará dos 25 °C em Luís Eduardo Magalhães (BA) nesta quinta-feira, 18.

No Norte, a temperatura está um pouco mais elevada que o normal em boa parte da região. Somente em Tocantins, a temperatura não sobe muito. Em Belém (PA), a temperatura varia entre 23 °C e 33 °C pelos próximos 15 dias. Já em Palmas (TO), apesar de máximas pouco acima dos 30 °C, elas ainda não são suficientes para alcançar a média. Somente nos últimos dias de junho, esperam-se temperaturas mais próximas dos 35 °C.

Por Pryscilla Paiva
Fonte: Canal Rural




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.