Notícias

05/07/2018 - Soja

Soja vai bem, mas exportação de carne é menor e preço cai


O complexo soja (grãos, farelo e óleo) salvou as receitas das exportações do agronegócio neste primeiro semestre. Os preços internacionais subiram, e o volume exportado deste ano atinge 46 milhões de toneladas, 5% acima do de igual período do ano passado. As receitas totais obtidas pelo setor somaram US$ 22,3 bilhões (R$ 87 bilhões), 12% mais do que as do ano passado. A soja, devido à demanda internacional, teve alta de 11% nos preços externos de junho, em relação aos do mesmo mês do ano passado. O farelo de soja, devido à quebra de 38% na safra de soja na Argentina, colocou o Brasil no foco do mercado internacional.

O país aumentou em 12% as vendas externas desse produto e foi beneficiado pela elevação de 19% nos preços internacionais. O Brasil ocupou parte do mercado deixado pelos argentinos, que tiveram menos soja para moer. Já as carnes, outro setor importante da balança comercial brasileira, perderam ritmo tanto nas receitas como no volume exportado.

No primeiro semestre do ano, os exportadores colocaram apenas 303 mil toneladas de carne "in natura" no mercado externo. O volume foi 39% inferior ao de igual período de 2017, segundo dados da Secex (Secretaria de Comércio Exterior). Pelos dados da entidade, as exportações das carnes bovina e suína recuaram 45% no período. As de frango tiveram retração de 36%.

Além da perda de volume exportado, ocasionada por barreiras comerciais e principalmente pela paralisação dos caminhoneiros, o setor viu os preços internacionais das carnes de frango e suína desabarem. O recuo foi de 26% e 9%, respectivamente. A carne bovina, embora tenha acompanhado as demais na queda de volume exportado, registrou alta de 22% nos preços internacionais no mês passado, em relação a junho de 2017. O milho também está com alta de preços no mercado externo. Por ora, as exportações brasileiras são pequenas, mas ganham forte ritmo nos próximos meses. Já o açúcar manteve a tendência de baixa, com recuo de 29% nos preços externos. De janeiro a junho, as receitas com açúcar bruto caíram para US$ 2,5 bilhões, 41% menos do que no primeiro semestre de 2017.
 
Troca de casa

Luciano Vacari, especialista em pecuária e há uma década na Acrimat (Associação dos Criadores de Mato Grosso), poderá trocar a associação pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso. É pré-candidato a uma vaga a deputado estadual.

Apoio a políticos

A Embrapa elaborou documento sobre os grandes desafios da agropecuária tropical nas próximas décadas. O documento foi encaminhado aos partidos políticos e serve para subsidiar os candidatos a cargos dos Poderes Executivo e Legislativo na eleição deste ano.

Temas

Ciência, tecnologia e inovação estão entre os temas abordados. O documento cita as megatendências e os desafios que podem impactar as atividades agrícolas do Brasil nos próximos anos.

Autofinanciamento

A Embrapa defende também a necessidade da definição de modelos de autofinanciamento da pesquisa pública na área agrícola e a criação de políticas e ações de governo que estabeleçam as condições para a venda de ativos gerados pela pesquisa agropecuária.

Nulidade de patente

A Justiça Federal concedeu liminar favorável à Aprosoja (Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso) em ação contra a Monsanto. A entidade pediu a nulidade da patente da soja Intacta da Monsanto.

Sem requisitos

A Justiça entendeu que a patente não cumpre os requisitos legais e determinou que a Monsanto Technology LLC e a Monsanto do Brasil Ltda. depositem em juízo, a partir da liminar e durante o curso da ação, o valor que cada associado da Aprosoja paga a título de royalties pela aquisição da tecnologia Intacta RR2 Pro (patente PI0016460-7).

Violações

Segundo a Aprosoja, a patente viola a legislação em três pontos: não informa as construções gênicas originalmente concebidas e testadas; falta transparência e insuficiência descritiva; e há adição ilegal de matéria à patente depositada.

Outro lado

A Monsanto afirma que não tem conhecimento de nenhuma decisão na ação judicial versando sobre uma das patentes relativas a biotecnologias da soja Intacta RR2 Pro. "Seguimos confiantes e seguros quanto à validade de nossas patentes e dos direitos relativos a tais tecnologias", diz comunicado da empresa.

Contra lagarta

A Monsanto afirma que não existia soja com proteção contra lagartas antes do lançamento da tecnologia Intacta RR2 Pro há quatro safras. Para a empresa, só a intensificação de investimentos possibilitará ao país superar os desafios que a agricultura tropical apresenta. Qualquer decisão que prejudique os incentivos para investir colocará esse progresso em risco, afirma o comunicado.

Por Mauro Zafalon
Fonte: Folha de S. Paulo





Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.