Notícias

01/02/2019 - Soja

Soja: Segundo veranico pode causar perda ainda maior na safra em MS


Cerca de 14% da área da safra 2018/2019 de soja de Mato Grosso do Sul já foi colhida. Em razão de um veranico – fenômeno que mistura estiagem prolongada com altas temperaturas, a quebra estimada até o momento é de 6,65%, com o volume caindo de 9,858 milhões de toneladas para 8,947 milhões de toneladas.

A perda, entretanto, pode ser ainda maior em decorrência de um segundo veranico. A informação foi apresentada ontem (31/01), pelo presidente da Associação dos Produtores da oleaginosa (Aprosoja/MS), Juliano Schmaedecke, na fazenda Luana, em Campo Grande, na abertura oficial da colheita de soja e plantio de milho no estado.

“Estamos muito apreensivos quanto a esse segundo veranico. Tem algumas regiões que estão de 15 a 20 dias de seca. Se continuar em fevereiro a quebra pode se agravar bastante”, diz.

Schmaedecke explica que o maior problema está em regiões que já foram atingidas pelo veranico no fim do ano passado. “Sofreram em dezembro do ano passado e o escape seria a segunda época, mas o ‘sol’ está tomando essa soja deles”.

Na fazenda Luana, onde foi realizada a abertura, o produtor Bruno Maggioni diz que a propriedade enfrentou o problema com o veranico do ano passado.

“Começamos a plantar em 22 de setembro. Os primeiros talhões sofreram no enchimento dos grãos e vamos colher 30% menos que o esperado”, diz, completando que com a produção escalonada a quebra total deve chegar a 10% no total dos 1.500 hectares cultivados.

Da safra atual, Maggioni diz que já vendeu antecipadamente 26 mil sacas. “O cenário da soja estava um pouco fraco. A safra americana foi até boa o que diminuiu um pouco o preço. Acredito que com as perdas que ocorreram no estado e no país os valores devem melhorar um pouco”.

No estado, segundo a Aprosoja/MS, a venda antecipada atingiu 39,1%, o que representa 3,553 milhões de toneladas, pouco acima das 2,940 milhões de toneladas do mesmo período da safra passada.

Milho
O presidente da Aprosoja/MS diz que o prejuízo na safra de soja não deve se refletir no ciclo de inverno de milho.

“O produtor faz programação praticamente com um ano de antecedência. Quando chega na metade de sua colheita de soja ele já sabe o que vai fazer e está com os insumos comprados. Para essa safra de inverno o produtor está com tudo comprado e em casa”, ressalta.

Na segunda safra de inverno deste ano, a projeção, conforme Schmaedecke é de um aumento de 5,73% na área plantada, que vai passar de 1,814 milhão de hectares para 1,918 milhão de hectares. Já a produção deve crescer 14,85%, com a cultura se recuperando da quebra do ciclo passado. O volume deve passar de 7,838 milhões de toneladas para 9,002 milhões de toneladas.

Por Anderson Viegas
Fonte: G1




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.