Notícias

01/04/2019 - Soja

Soja: capim-amargoso pode diminuir produtividade em até 80%; saiba como evitar


O capim-amargoso é considerado por produtores do Cerrado uma das plantas daninhas mais difíceis de se controlar. Segundo pesquisa realizada pela consultoria Kleffmann Group, a pedido da Basf, 34% dos agricultores da região revelaram ter dificuldades em combater a planta invasora no ciclo de 2017/2018. O aumento dos custos de produção criou a necessidade de mudanças nas práticas agrícolas para manter o rendimento dos grãos nas lavouras.

De acordo com Basf, as perdas de produtividade com a incidência da planta daninha podem superar 80%, principalmente quando ocorre a partir do estágio inicial de desenvolvimento da cultura.

Visando solucionar esse problema, a empresa apresentou durante a sexta edição da Show Safra BR-163, em Lucas do Rio do Verde (MT), um herbicida que promete ser capaz de controlar o problema nas lavouras.

“O Amplexus é uma ferramenta eficiente no manejo para o controle do capim-amargoso. O químico é capaz de evitar perdas nas lavouras e contribui para a longevidade do cultivo”, afirmou Alessandro Gazzineli, gerente sênior de Marketing. O herbicida também atua no manejo de dessecação pré-plantio da soja, com eficiência no controle de plantas daninhas de folhas estreitas e largas.

Como identificar?
Segundo o engenheiro agrônomo Cleverson Vaz, é fácil identificar o capim-amargoso no meio da lavoura. “É muito comum a planta atingir áreas de pastagem e do Cerrado, que são áreas predominantes aqui na região. O amargoso é uma planta invasora, que serve de hospedeiro para pragas e doenças no período de pousio da área, sendo necessário o controle para redução de fonte de inóculos”, diz

Nas lavouras de soja, Vaz afirma que o problema é ainda maior. “Essa planta daninha tem o que chamamos de touceira vigorosa, ou seja, ela toma o espaço de plantio da oleaginosa, diminuindo a produtividade, além de sugar boa parte dos nutrientes e água do solo”, comenta.

Aplicação do produto
Na hora da aplicação, é importante o produtor levar em conta alguns procedimentos, explica o engenheiro. “É sempre bom salientar que na hora de aplicar o herbicida, o melhor período é o outonal, ou seja,  assim que você colhe a cultura, é recomendado entrar com aplicação do produto”, diz o agrônomo.

“Depois, para o próximo plantio, é importante que a área tenha recebido pelo menos 100 milímetros de chuva, aí sim, passado 30 dias, o produtor pode efetuar o plantio, para não ocorrer o risco de sobrar algum resíduo do herbicida”, finaliza.

Por Kenia Santos
Fonte: Canal Rural - http://tempuri.org/tempuri.html




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.