Notícias

20/08/2020 - Outros

Sindag cria rede nacional para ampliar adoção da tecnologia e de boas práticas


O Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag) lançou ontem a Rede Brasil Institucional Aeroagrícola, que reunirá entidades do agronegócio e da aviação, órgãos de pesquisa e empresas. A ideia, na prática, é desenvolver mais o setor, promover boas práticas e ampliar o conhecimento da sociedade sobre a atividade. Estão previstas campanhas de promoção, projetos de incentivo e formação de grupos de trabalho para solucionar desafios do mercado, segundo nota do Sindag.

A rede foi apresentada em uma videoconferência com representantes de 46 entidades ligadas ao setor primário em todo o País. Já integram a iniciativa o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Vegetal (Sindiveg), a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Única), Syngenta, a fabricante norte-americana de aviões agrícolas Air Tractor, assim como as universidades federais de São Carlos (Ufscar), do Estado de São Paulo, e de Cruz Alta (Unicruz), do Rio Grande do Sul.

O mercado de aviação agrícola do Brasil é o segundo maior do mundo e único segmento da aviação brasileira que registrou crescimento nos últimos 24 meses, de acordo com o Sindag. “Queremos que mais produtores rurais percebam as vantagens do trato aéreo das lavouras, mas também entendam as obrigações legais da ferramenta e o quanto adotar boas práticas é vantajoso para todos. Além disso, agora que consolidamos boa parte das ações junto aos empresários de setor de aviação agrícola, queremos chegar nos operadores privados (produtores que utilizam próprios aviões)”, disse na nota o diretor executivo do sindicato, Gabriel Colle.

Uma das pautas da rede será a instrução normativa para o uso de drones no trato de lavouras. O esboço da norma segue em consulta pública até setembro, conforme o Sindag, que vem promovendo encontros com entidades do agronegócio.

O Sindag informou que desde 2016 vem promovendo iniciativas para qualificar os empresários do setor, envolvendo consultorias especializadas, parcerias com instituições acadêmicas, criação da Academia de Líderes do setor e encontros estaduais. Também buscou aproximação com entidades do agronegócio e órgãos reguladores.

"Passamos a oferecer ferramentas como o Sistema de Documentação da Aviação Agrícola (Sisvag), pelo qual os operadores podem consultar documentos, registros e obrigações exigidas por órgãos reguladores em qualquer parte do País”, cita Colle no comunicado. Entre 2016 e 2020, o número de empresas afiliadas ao Sindag aumentou de 98 para 198.

Por Clarice Couto
Fonte: Broadcast Agro




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.