Notícias

23/10/2019 - Soja

Queda do dólar não afeta preço da soja


Os preços da soja brasileira se mantiveram estáveis no início dessa semana, mesmo com a queda da moeda norte-americana, segundo informou o especialista Luiz Fernando Pacheco, analista da T&F Consultoria Agroeconômica. De acordo com ele, a cotação em Chicago também registrou baixa. 

“A cotação da soja em Chicago, novamente, teve leve queda, de 0,08% e, o dólar, desvalorização de 1,33%, fechando em R$ 4,0757, fazendo com que os preços que os compradores ofereceram sobre rodas nos portos do sul do Brasil ou seus equivalentes em outros estados, tivessem queda de 0,48% para a média de R$ 89,39/saca, contra R$ 89,82, do dia útil anterior”, comentou ele. 

Com isto, ele disse, o acumulado do mês atingiu 3,03% contra positivos 3,53% do dia anterior. “No interior ficou estável, apesar da queda no porto, no mercado externo e do dólar, com leve alta de 0,04%, para R$ 84,36/saca, contra R$ 84,33 do dia anterior, com o acumulado atingindo 4,32%, contra 4,28% anterior”, completou. 

“Os preços do mercado físico do Rio Grande do Sul se mantiveram estáveis nesta terça-feira com compradores e vendedores avaliando a direção dos mercados externos e da cotação do dólar. No Paraná, o mercado físico se mostrou cauteloso nesta terça-feira e os preços se mantiveram estáveis, sem grandes oscilações, em todas as regiões”, indicou. 

No mercado internacional, existem rumores de que a China comprou novamente soja dos Estados Unidos, mas, mesmo assim, não abandonou o produto brasileiro. “Como se vê, a China repartiu igualmente as compras entre o Brasil e os EUA, em plena janela de exportação americana e em plena vigência de um acordo entre americanos e chineses”, concluiu. 

Por Leonardo Gottems
Fonte: Agrolink




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.