Notícias

30/05/2018 - Mercado

No campo, fim da paralisação dos caminhoneiros e contabilidade dos prejuízos


O movimento de paralisação dos caminhoneiros entra em seu 10º dia, mas já sem tanta força quanto no início. Ainda assim, os prejuízos continuam a ser contabilizados em quase todos os setores e no agronegócios as perdas são bilionárias. Segundo uma estimativa prévia da CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil), as perdas são de R$ 6,6 bilhões para os produtores rurais após nove dias de bloqueios. 

“Este prejuízo é apenas na produção primária, sem considerar ainda o processamento, as indústrias e a parte de insumos, que estão tendo prejuízos severos. E ainda fora o que está por vir, porque a recuperação não é imediata”, afirmou o superintendente técnico da CNA, Bruno Lucchi, que alertou para o “caos extremo” na produção de alimentos se os bloqueios continuarem.

Diante desses números e de prejuízos que se agravam a cada novo dia de paralisação, produtores chegam a se revoltar ao sentirem suas atividades e seu dia a dia cada vez mais prejudicados. Em Ibirubá, no Rio Grande do Sul, um produtor se manifestou na tarde de ontem (29) despejando litros de leite no meio da rua lamentando os efeitos do movimento. A cena representa o fim do movimento no campo e deixa claro o dilema da paralisação: beneficia uns, mas causa enormes injustiça a outros. 

No estado gaúcho, assim como nos demais, dez dias após o início da paralisação dos caminhoneiros, muitos serviços continuam afetados e ainda não tiveram seu ritmo normalizado. Cerca de 200 cidades têm decretos de emergência ou calamidade pública. 

Fonte: Notícias Agrícolas




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.