Notícias

02/06/2020 - Clima

Inverno e primavera na região Sudeste: confira as tendências do clima


O inverno no Brasil começa no dia 20 de junho, às 18h44. A nova estação se caracteriza por temperaturas baixas, dias mais curtos e noites mais longas, principalmente nas regiões Sudeste e Sul, onde essas características são mais marcantes.

Confira as tendências climáticas para o período entre o inverno e a primavera na região Sudeste, no especial de meteorologia que está trazendo as indicações para todas as regiões brasileiras durante esta semana. Lembre-se que as simulações meteorológicas de longo prazo podem sofrer alterações.

Inverno
A chuva se intensificou em maio, mas ainda assim o mês terminou com precipitação abaixo da média em boa parte do estado de São Paulo e no oeste e sul de Minas Gerais. No Rio de Janeiro e Espírito Santo, choveu mais que o normal, mas quase nenhum município do Sudeste recebeu nem 100 milímetros.

Para junho, embora exista previsão de chuva mais persistente nos primeiros dez dias em São Paulo, a maior parte das simulações indica precipitação dentro ou abaixo da média nesse estado e no oeste e norte de Minas Gerais. No Rio de Janeiro, Espírito Santo e Zona da Mata de Minas Gerais, a chuva será mais intensa que o normal, mas isso não indica obrigatoriamente grandes acumulados. Apenas o litoral sul do Espírito Santo tem estimativa de acumulado de três dígitos.

Apesar de um início de mês com temperaturas baixas, as ondas de frio já não chegarão com a mesma frequência no decorrer de junho e, por isso, esperam-se temperaturas acima da média no Sudeste. No oeste de São Paulo, inclusive, poderá haver um desvio da temperatura máxima acima de 4 °C. No norte de Minas Gerais, no entanto, as madrugadas e tardes prometem ser mais frias que o normal.

No interior de São Paulo, aparece uma frente fria chuvosa justamente na primeira semana do mês. Depois disso, espera-se tempo seco e temperaturas mais elevadas. Juntamente com a chuva, a única queda de temperatura de junho também acontecerá nos primeiros dias do mês.

Na região central de Minas Gerais, dependendo da simulação, espera-se tempo completamente seco em junho. Após os primeiros dez dias mais frios, a temperatura promete ser mais elevada, mas sem extremos.

No Rio de Janeiro, pela proximidade com o mar e pela maior frequência de frentes frias, espera-se chuva. A primeira quinzena será mais úmida que a segunda, mas a precipitação promete ser frequente ao longo de todo o mês. Além disso, a primeira quinzena será mais fria que a segunda.

No Espírito Santo, a chuva também será frequente ao longo de junho, mas a segunda quinzena será mais úmida que a primeira. As madrugadas serão mais frias na primeira quinzena, enquanto a amplitude térmica será menor na segunda metade de junho.

Como o norte de Minas Gerais será a única área com temperatura abaixo da média, algumas madrugadas terão mínimas inferiores a 10 °C na primeira quinzena de junho. Já a temperatura máxima oscila em torno de 25 °C ao longo de todo o mês. Praticamente não há previsão de chuva em junho, embora o tempo permaneça nublado e úmido nos últimos 20 dias do mês.

De uma forma geral, à medida que o inverno avança, o tempo torna-se mais seco, como é comum no Sudeste. No entanto, ao longo da costa de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, as frentes frias ainda terão capacidade de levar mais chuva que o normal.

A amplitude térmica permanecerá baixa no norte de Minas Gerais, mas a maior parte da região terá mínimas e máximas mais elevadas que a média histórica.

Em agosto, nada mudará em relação à distribuição de chuva, que se mantém inferior à média histórica na maior parte do Sudeste. Precipitação mais intensa somente ocorre na costa da região.

O frio, no entanto, vai ganhar força. “Na realidade, ainda deveremos monitorar quando o frio será mais intenso: julho ou agosto. Na última atualização da simulação europeia ECMWF, o frio ficou concentrado em agosto com temperaturas abaixo da média em São Paulo, Rio de Janeiro e sul de Minas Gerais”, diz Celso Oliveira, meteorologista da Somar.

No Espírito Santo, as madrugadas permanecerão com temperatura dentro da média, enquanto o norte de Minas Gerais terá temperatura mínima mais elevada que o normal.

Primavera
Para a primavera, a simulação probabilística da Universidade de Colúmbia (IRI) indica precipitação dentro da média no Espírito Santo e Minas Gerais e acima da média em São Paulo e Rio de Janeiro. Isto, no entanto, não quer dizer que a chuva será bem distribuída.

Dos três meses da estação, outubro promete ser mais chuvoso em São Paulo, Rio de Janeiro e sul de Minas Gerais. Setembro também não será completamente seco em São Paulo. Mas, analisando os dados para novembro, percebe-se que a chuva deixará São Paulo e avançará na direção do norte de Minas Gerais e do Espírito Santo.

Esperam-se valores dentro da média ao longo dos três meses da primavera. Mas, mês a mês, a tendência é de calor em setembro e temperaturas mais baixas que a média em novembro, por conta do resfriamento do oceano Pacífico equatorial.

Por Pryscilla Paiva
Fonte: Canal Rural




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.