Notícias

07/12/2018 - Soja

Inundações atrasam semeadura na Argentina

Embora o excesso de chuva tenha afetado a safra de inverno, atualmente não é esperado que isso afete a área de soja

As fortes chuvas durante agosto e setembro causaram danos notáveis em todas as principais áreas de cultivo da Argentina, especificamente nas províncias de Buenos Aires, Santa Fé e Córdoba.  De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), relatórios locais estimam que 5 a 10 milhões de hectares podem estar submersos ou danificados devido a essas chuvas. 

“Embora o excesso de chuva tenha afetado a safra de inverno, atualmente não é esperado que isso afete a área de soja, amendoim e girassol (embora o plantio possa estar atrasado). Como tal, o informe não modificou a área de plantio para essas culturas oleaginosas, uma vez que ainda há tempo para a recuperação de terras cultivadas”, diz o texto. 

A inundação não só afetou as áreas rurais e suas economias locais, mas teve sérias consequências em toda a economia argentina, incluindo receitas e exportações do governo. Segundo o jornal La Nación, a inundação levou a uma perda econômica de US $ 1,7 bilhão para a Argentina, equivalente a 0,25% do PIB. 

“Esse dano por inundação não é exclusivo da agricultura, mas também afetou os setores de carne bovina e laticínios, com prejuízos econômicos estimados em mais de US $ 550 milhões. Essa mesma análise também estima que aproximadamente 1,19 milhão de hectares de área de plantio foram perdidos devido a esse dano por inundação”, indica o USDA. 

Os produtores enfrentam um cenário complicado em relação às margens. As rendas de terra variam de acordo com os níveis de rendimento anteriores e qualquer dano que possa ter ocorrido devido ao aumento dos níveis de umidade.

Por:Leonardo Gottems 

Fonte:Agrolink




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.