Notícias

12/05/2020 - Pecuária

Gado polui pouco: agrônomo rebate ministro argentino


O especialista José Jáuregui, que é engenheiro agrônomo na Argentina, rebateu algumas declarações do ministro do Meio Ambiente do país e afirmou que a pecuária, especialmente a produção de gado, polui menos do que as cidades. Em uma videoconferência, o ministro havia dito que gado também é um dos principais setores de emissão de gases de efeito estufa, quase nos mesmos níveis de todas as emissões de hidrocarbonetos, acrescentando transporte e indústria. 

De acordo com Jáuregui, essa informação não procede. “Sem ser um especialista no assunto, convido-nos a pensar juntos. A vaca em um sistema extenso come principalmente grama. Essa grama foi produzida a partir da fixação de CO2 do ar que foi transformado em açúcares. A vaca transforma parte desses açúcares em CH4 e os elimina por gases. Não há aumento no CO2 nesse caso”, comenta. 

“As vacas não geram espontaneamente CH4, mas esse gás é o produto da fermentação ruminal que é produzida pelo consumo de biomassa. Biomassa gerada a partir de CO2 no ar”, completa ele. 

Além disso, o agrônomo indicou também que o carbono liberado na atmosfera, proveniente do desmatamento, já foi “capturado”. “Existem grandes áreas que foram desmatadas para incorporar gado. Mas o CO2 liberado pela destruição da biomassa de selvas e florestas foi capturado nos últimos 80-100 anos. Nesse caso, lançamos muito CO2 na atmosfera em alguns anos. capturado na biomassa. Essas pastagens capturam uma grande quantidade de C, geralmente maior que a quantidade de C que as colheitas anuais capturam”, indica. 

O fato é que "no Mercosul, as pastagens geram um excedente de C que pode compensar não apenas as emissões rurais, mas também parcialmente ou totalmente não-rurais". 

Por Leonardo Gottems
Fonte: Agrolink




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.