Notícias

18/08/2020 - Pecuária

Financiamento para recuperar pasto degradado pode vir de títulos verdes


O Plano Safra 2020-2021 é de R$ 236,3 bilhões, 6,06% a mais que o da temporada 2019-2020. Mas imagine se a agropecuária pudesse contar com um montante de recursos três vezes maior do que esse valor. Afinal, crédito é fundamental para dar sustentação ao setor. Uma das fontes que podem levar ao aumento da oferta de crédito, e vem ganhando visibilidade, é a captação de financiamentos pelos chamados títulos verdes. E é a criação de gado brasileira que pode ser o carro chefe desse mercado.

Explicando, os títulos verdes (green bonds) são instrumentos de dívida emitidos por entidades financeiras ou não, privadas ou públicas, em que os recursos captados são usados para financiar projetos e ativos sustentáveis. Entre eles estão a recuperação de áreas florestais nativas e o sequestro de gases de efeito estufa. Os títulos verdes são a forma que as empresas têm para captar dinheiro para investimento no ambiente de bolsa de valores, como o Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA).

“Para as empresas que já emitem o CRA, por que não emitir um CRA verde? É um mercado novo e que pode dar bônus de reputação às empresas”, diz Leisa Souza, bacharel em Relações Internacionais e coordenadora do Programa de Agricultura no Brasil da Climate Bonds Iniciative (CBI), entidade britânica sem fins lucrativos e a única no mundo a certificar títulos verdes.

Um recente estudo da CBI  mostra que o  agronegócio brasileiro representa um mercado potencial da ordem de R$ 692,4 bilhões em emissão de títulos verdes até 2030. Desse total, a maior parte pode vir justamente da pecuária, com R$ 331,9 bilhões. Esse quinhão do setor representa 47,9% do total.

“A demanda do setor é bem significativa e com inúmeras oportunidades”, diz Leisa Souza, bacharel em Relações Internacionais e coordenadora do Programa de Agricultura da CBI.

Pecuária cada vez mais verde

O carro-chefe de oportunidades em emissão de títulos verdes na pecuária vem da necessidade de capital para um dos maiores gargalos do setor: os pastos.

De acordo com o estudo da CBI, somente para a recuperação de pastagens, o potencial de atração da pecuária é avaliado em R$ 291 bilhões. O dinheiro pode servir para recolocar no setor 75 milhões de hectare, hoje degradados.

Confira os detalhes desse estudo, para os dados relativos à pecuária:

Titulos-verdes-pecuaria.jpg

Títulos verdes no mundo e no Brasil
As primeiras emissões de títulos verdes no mundo foram realizadas pelo Banco Europeu de Investimento e pelo Banco Mundial, em 2007 e 2008 respectivamente. Em 2018, esse mercado de financiamento atingiu o volume de US$ 167,7 (R$ 711 bilhões) e, em 2019, US$ 258 bilhões (R$ 1 trilhão).

No Brasil, a primeira emissão de títulos verdes foi em junho de 2015. Hoje, o País é o segundo maior mercado na região da América Latina e Caribe, com US$ 5,9 bilhões (R$ 25 bilhões). No País, essas emissões são pulverizadas. Atualmente, o segmento do agro que mais emite é o de produção de papel e celulose, correspondente a apenas 3% desse total.

Por Fabio Moitinho
Fonte: Portal DBO




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.