Notícias

29/11/2018 - Soja

Ferrugem se prolifera rápido e Consórcio já registra 33 ocorrências no Brasil


Continua crescendo o número de ocorrências de ferrugem asiática na safra de soja 2018/19 do Brasil. De acordo com a última informação do Consórcio Antiferrugem, são 33 identificações até a presente data, contabilizando lavouras comerciais e plantas de soja voluntária. Quem segue liderando o número de ocorrências ainda é o Paraná, com 22. 

A maior das ocorrências que vêm sendo registradas pelo consórcio ainda são em plantas voluntárias, no entanto, especialistas já afirmam que, a presença da doença é algo bastante grave nesta temporada, além de voltarem a chamar a atenção para a antecipação da chegada da ferrugem. 

"Já temos, nesse momento, a ocorrência da ferrugem estabelecida no estado do Paraná, não só mais um risco alto de infecção", diz o coordenador estadual de grãos da Emater/PR, Nelson Harger em entrevista ao Notícias Agrícolas. 

Segundo o sistema da insituição, o Alerta Ferrugem, dos 174 coletores instalados, 40 já identificaram a presença dos esporos do fungo causador da doença. E esse, segundo Harger, é um período "normal" de expansão da ferrugem. 

Com isso, a orientação do coordenador é de que o produtor intensifique o monitoramento de suas lavouras e defina, com seus profissionais de confiança, as melhores decisões a serem tomadas, principalmente quando se trata das aplicações de fungicida.

E os fungicidas também se mantêm como outra grande preocupação dos especialistas. A ferrugem segue muito resiste aos produtos que já vêm sendo utilizados pelos produtores, principalmente os de sítio específico. No caso dos multissítios, a preocupação é maior com a questão climática. 

"Como esse não é um produto que é absorvido e fica na superfície da planta, se a situação for de muitas chuvas, o produto pode ser lavado", explica a doutora em fitopatologia da UFMT (Universidade Federal de Mato Grosso), Solange Bonaldo. "E a maneira como o fungo se comporta e cria resistência é muito rápida", completa. 

Solange afirma ainda que os institutos de pesquisa seguem trabalhando para identificar mais detalhes sobre o fungo causador da ferrugem - o Phakopsora pachyrhizi - para uma melhor identificação do gene e de suas mutações, para que o controle da doença não fique, assim, ainda mais difícil. 

Para a fitopatologista, a maior preocupação em torno deste número de 33 ocorrências de ferrugem nesse momento é a confirmação da antecipação da presença da doença. Como explica Solange, as lavouras mais tardias deverão ser a que mais sofrerão com a ferrugem a partir do momento em que ela chegue. O tempo de exposição á ferrugem será maior e elas receberão maior número de esporos. 

"A maior dificuldade agora é a divergência de homogeneidade da cultura, e acredito que, além de Mato Grosso, haja mais regiões do Brasil também sofrendo com isso, com lavouras em diferentes estágios", diz Solange. "E as perdas por ferrugem nessas condições, portanto, é maior". 

Complementando o cenário preocupante, há ainda condições climáticas que favorecem a proliferação da ferrugem. Em Mato Grosso, por exemplo, há temperaturas variando entre 22 e 28 graus, e ainda mais amenas durante a noite. Além disso, há ainda bastante nebulosidade.  

As cidades onde a ferrugem foi identificada são, de acordo com o Consórcio Antiferrugem:

Bahia
Ferrugem em soja voluntária: Luís Eduardo Magalhães e São Desidério, ambas com ferrugem em soja voluntária

Goiás 
Ferrugem em soja voluntária: Bela Vista de Goiás, Caiapônia, Formosa, Goiânia, Itumbiara 

Mato Grosso
Ferrugem em soja voluntária: Alto Araguaia, Alto Garças, Alto Taquari, Campo Novo do Parecis, Campos de Jílio, Campo Verde, Diamantino, Juscimeira, Lucas do Rio Verde, Nova Mutum, Primavera do Leste, Rondonópolis, Santo Antôni do Leverger, Sapezal, Sinop, Sorriso

Mato Grosso do Sul
Ferrugem em soja voluntária: Campo Grande, Chapadão do Sul, Dourados, São Gabriel do Oeste - ferrugem em soja voluntária -
Lavoura comercial: Maracaju  

Minas Gerais
Ferrugem em soja voluntária: Paracatu, Patos de Minas, Patrocínio, Uberlândia, Unaí

Paraná
Lavoura comercial: Cafelândia, Campo Mourão, Cândido de Abreu, Corbélia, Jaguariaíva, Juranda, Mangueirinha, Marechal Cândido Rondon, Nova Cantu, Nova Santa Rosa, Peabiru, Piraí do Sul, Reserva, São João do Ivaí, São Pedro do Iguaçu, Terra Roxam Tibagi, Toledo, Ubiratã 
Ferrugem em soja voluntária: Cascavel, Cornélio Procópio, Francisco Beltrão, Guarapuava, Ivaiporã, Londrina, Nova Aurora, Pitanga, Santa Terezinha de Itaipu - ferrugem em soja voluntária

Rio Grande do Sul
Lavoura comercial: Barra do Guarita e Tenente Portela
Ferrugem em soja voluntária: Cachoeira do Sul, Caseiros, Cruz Alta, Derrubadas, Dom Pedrito, Ibirubá, Não-Me-Toque, Passo Fundo, Rodeio Bonito, Ronda Alta, Santa Maria, Santa Rosa, Santiago, Sarandi

Santa Catarina 
Lavoura comercial: Quilombo e São Domingos - ocorrência em lavoura comercial
Ferrugem em soja voluntária: Xanxerê - ferrugem em soja voluntária 

São Paulo
Lavoura comercial: Itaberá, Itapetininga, Itapeva, São Miguel Arcanjo

Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.