Notícias

11/02/2019 - Soja

Falta de infraestrutura em rodovias atrasa entrega da soja produzida no Maranhão


Caminhoneiros que transportam a safra de soja produzida no sul do Maranhão, estão enfrentando inúmeros problemas para conseguir entregar o produto em outros municípios e estados do Brasil. As principais rodovias usadas para o transporte da carga estão em péssimas condições estruturais, atrasando o escoamento da produção e até provocando acidentes.

O trabalho da colheita de mais de 650 mil hectares de soja começou em fevereiro e deve se estender até o mês de abril. Mesmo com a boa expectativa, os produtores estão preocupados com os prejuízos que possam ter, causados principalmente, pela demora na entrega do produto que é transportado em rodovias federais e estaduais que estão condições precárias.

Com o início do período chuvoso no estado, os trechos das rodovias onde eram somente buracos se transformaram em lama, que atola os caminhões que transitam pelo local. O caminhoneiro Alexandre Paulo, teve que interromper a viagem após ter ficado atolado em um trecho da BR-324 na rodovia Transamazônica que liga o município de Balsas no Maranhão a Ribeiro Gonçalves no Piauí.

“Eu atolei eram 11h e saí por volta das 15h, e agora mais uma vez. A estrada desse jeito não tem condições de transportar não, a situação está difícil. Inventaram de arrumar a estrada logo no período de chuvas, quem já viu isso? Arrumar a estrada nesse período é a primeira vez que eu vejo, tem que arrumar antes, né? Ai colocaram um barro, nem piçarra é. Quando a máquina passa por cima, tá legal mas quando a carreta passa atola”, disse.

Trechos em rodovias estão sendo recuperado por uma parceria do Governo do Maranhão e os produtores da região. O serviço emergencial de tapa buracos, está sendo realizado durante o período chuvoso e após as chuvas, os buracos se transformam em armadilhas para quem transita nas rodovias e atrasam as viagens. Na MA-006 que liga os municípios de Alto Parnaíba a Balsas, o trecho de 240 km está sendo feito em quase 10 horas de viagem.

Além dos problemas causados pela demora nas entregas de produtos e problemas mecânicos causados nos caminhões, os motoristas ainda precisam ficar alerta sobre o perigo causado pelos buracos que fazem parte de vários trechos das rodovias. Nesta semana, um caminhão tombou em um trecho que enfrenta problemas infraestruturais e a carga ficou espalhada na pista.

Em outro trecho na BR-230 entre Balsas e São Domingos do Azeitão os motoristas fazem manobras arriscadas para desviar dos buracos e evitar problemas mecânicos nos caminhões. Alguns chegam a ficar atravessados na pista, aumentando o risco de acidentes.

De acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) o contrato de manutenção do trecho da BR-230 está em fase de licitação e a BR-324, consta no Plano Viário Nacional como uma rodovia planejada, sem previsão para início da construção.

Segundo a Secretaria Estadual de Infraestrutura (Sinfra) as frentes de serviço que fazem a manutenção das rodovias federais estão ativas, dando condições de escoamento da safra de soja tanto pela MA-006 quanto pela BR-324.

Fonte: G1 Maranhão - http://tempuri.org/tempuri.html




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.