Notícias

14/10/2020 - Milho

EUA devem exportar mais milho para América Latina em 2021, afirma USDA


O milho produzido nos Estados Unidos deve reconquistar participação de mercado na América Latina em 2021, com a menor concorrência de outros países exportadores, disse o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA). A agência citou também que o produto norte-americano tem condições preferenciais de acesso a alguns mercados da região, como Colômbia, Peru e México.

"O milho dos EUA deve ficar competitivo por causa da ampla oferta disponível e da concorrência reduzida de outros exportadores, como Argentina, Brasil e Ucrânia", disse o USDA em relatório.

Em relatório separado, o USDA havia dito na sexta-feira (9/10) que produtores dos EUA devem colher cerca de 374 milhões de toneladas de milho na safra 2020/21. As exportações totais do país foram projetadas em 59 milhões de toneladas, quase 14 milhões de toneladas a mais do que o volume estimado para 2019/20.

Segundo o USDA, o crescimento das exportações de Argentina, Brasil e Ucrânia deve ser limitado pela menor oferta disponível, no caso de Argentina e Ucrânia, e pelos altos preços domésticos, no caso do Brasil. "Para o Brasil, a forte demanda chinesa por carne tem estimulado a expansão da produção de carne bovina, suína e de frango. Isso deve impulsionar a demanda por milho no mercado doméstico e moderar o volume disponível para exportação."

Vendas para o México
Exportadores dos EUA relataram vendas de 110 mil toneladas de milho para o México, informou nesta terça-feira o USDA. O carregamento tem entrega prevista para a temporada 2020/21. O ano comercial 2020/21 do milho começou em 1º de setembro. Os exportadores dos EUA são obrigados a relatar qualquer venda de 100 mil toneladas ou mais de uma commodity feita em um único dia ou vendas de 200 mil toneladas ou mais para um mesmo destino até o dia seguinte.

África do Sul
A produção de milho da África do Sul apresenta tendência de alta para a próxima safra, à medida que os agricultores expandem as terras agrícolas estimulados pela melhora dos preços e condições climáticas também favoráveis, afirmou o economista-chefe da Câmara de Negócios Agrícolas, Wandile Sihlobo.

As vendas de máquinas agrícolas, um indicador importante das expectativas do mercado, têm sido robustas desde junho. Isso aumenta as perspectivas de que os produtores possam colher volume superior a 14 milhões de toneladas, conforme estimativa do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), em Pretória, divulgada na semana passada, afirmou Sihlobo.

Depois de registrar um aumento de 30% na safra de milho, para 15,6 milhões de toneladas na safra passada, "os dados disponíveis como vendas de tratores, previsão do tempo e preços de commodities, sugerem que esta pode ser mais uma boa temporada para o setor agrícola da África do Sul", concluiu o economista.

Por Estadão Conteúdo
Fonte: Globo Rural - http://tempuri.org/tempuri.html




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.