--%>

Notícias

28/12/2018 - Outros

Estudo mostra que pedágio pode onerar em até 45% transporte de grãos


Pedágios nas rodovias do Paraná chegam a representar 45% do custo do transporte de grãos no Estado. É o caso das cargas que saem de Foz do Iguaçu, no oeste, para Paranaguá, que recolhem R$ 977,60 em tarifas. 

No caso de localidades mais próximas do porto, como Ponta Grossa, o custo equivale a 20% do total. Os dados foram apontados por estudo da Gerência Técnica e Econômica do Sistema Ocepar (Getec), que mensurou o impacto dos atuais valores de pedágio praticados nas estradas paranaenses nos custos do transporte de grãos e insumos.

Conforme o levantamento, divulgado pela Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), as tarifas de pedágio podem atingir o equivalente a 8,3% do custo operacional de produção, em se tratando de milho, e de 4,9%, no caso da soja.

“Em 10 de dezembro de 2018 a Agepar homologou os aumentos no pedágio para os lotes de concessão no estado do Paraná. Os reajustes variam entre 0 e 17,83%, mas, devido aos arredondamentos, o reajuste efetivo variou em algumas situações acima dos valores homologados”, destaca o estudo. “O maior aumento ficou por conta dos lotes da Viapar, com um ajuste efetivo de 17,83%. Esse reajuste contempla também um acréscimo oriundo de um degrau tarifário, aprovado em janeiro de 2018 e até então, não aplicado. 

A Econorte não solicitou reajuste tarifário à Agepar, portanto não houve alteração do valor vigente em 2018. Dessa forma, o valor por 100 km de pedágio médio no Paraná é de R$ 14,90. O valor mais alto é cobrado pela Econorte, com uma média de R$ 17,89/100km. O menor valor é cobrado pela Ecovia, com R$ 11,94/100km, em um trecho de concessão com 175 km.”

Fonte: conteúdo Estadão/Dinheiro Rural




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.