Notícias

29/11/2019 - Milho

Demanda brasileira de milho saltará em 2020 por produção de carnes e etanol, diz Rabobank


A demanda por milho no Brasil crescerá em 2020 impulsionada pelo maior consumo do cereal por produtores de etanol e de carnes, segundo previsão do Rabobank divulgada nesta quinta-feira.

O analista de grãos do Rabobank, Victor Ikeda, disse que os agricultores estão aumentando as vendas antecipdas de milho a níveis acima da média nos últimos anos.

Ele espera que a área plantada para a segunda safra de milho, a principal do cereal do Brasil, cresça para 13,4 milhões de hectares em 2020, contra 12,5 milhões de hectares em 2019, uma vez que os agricultores reagem às perspectivas positivas.

Por Marcelo Teixeira
Fonte: Reuters

2020 deverá ser um ano positivo para o Agro. A dúvida é se ele será melhor que 2008...

Considerando ter havido uma volatilidade moderada nas condições financeiras e o avanço das reformas necessárias conseguidas pelo atual Governo, o Rabobank aponta o crescimento do PIB para 2019  de 0,9% -  confirmando o quadro atual de recuperação gradual da atividade econômica, do emprego e do consumo, apontou ontem o analista do Rabobank, Gabiel Santos, em apresentação à imprensa.

-- "Quanto à taxa de câmbio, em meio a desafios locais (riscos de prosseguimento das reformas) e um contexto global desfavorável (desaceleração econômica, tensões comerciais), projetamos uma taxa cambial de 4,00 por dólar ao final deste ano e 3,90 por dólar ao final de 2020", diz o analista do Rabobank Gabriel Santos.

= "Para a taxa básica de juros projetamos o fim do ciclo de afrouxamento em meados de 2020. Acreditamos que a inflação se elevará de 3,3% este ano para 3,8% no próximo ano, permanecendo ainda abaixo da meta central do BC 4,25% em 2019 e 4,00% em 2020".

Ponto de Atenção
O analista do Rabobank Gabriel Santos chamada a atenção para dois fatores que podem mudar as projeções:

- A desaceleração mais acentuada nas principais economias do mundo, além de eventual agravamento nas tensões comerciais sino-americanas ou até retrocesso no que se refere à pauta de reformas fiscais no Brasil, podem desvalorizar o Real perante o Dólar.

- Surpresas positivas em relação à tramitação dos ajustes macroeconômicos, fluxos de entrada de recursos em função das novas concessões e privatizações, e a retomada do afrouxamento monetário por parte dos bancos centrais das principais economias, podem valorizar o Real perante o Dólar.

Por: João Batista Olivi
Fonte: Notícias Agrícolas




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.