Notícias

31/08/2020 - Soja

Confira a perspectiva de plantio de soja em cada estado


A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) realizou recentemente uma webinar, que contou com a presença da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, para trazer algumas perspectivas para a safra de grãos do Brasil em 2020/2021. Com base em todas essas informações trouxemos uma breve perspectiva geral e por estado do potencial da safra brasileira de soja.

Potencial é termo usado pela Conab para destacar que a perspectiva a seguir foi baseada em cálculos estatísticos, levando em consideração algumas variáveis como clima, para se prever o tamanho potencial da safra. Ou seja, se tudo correr dentro do esperado o Brasil poderá colher até 133,5 milhões de toneladas de soja em 2020/2021.

“Nós estamos projetando um aumento de área superior a 3% no país e acima de 4% na produtividade. O que traz esse resultado de uma produção 7% maior que as 124,5 milhões de toneladas da safra anterior. Essa é uma prévia, baseada em modelos estatísticos, considerando também a aceleração nas vendas antecipadas. Mas os primeiras previsões começaremos a divulgar em outubro”, diz o superintendente de Gestão da Oferta da Conab, Allan Silveira dos Santos.

“Na agricultura moderna, uma cultura se instala conforme ele remunera. Se um cliente como a China diz preciso de tal grão, o Brasil responde no ato, porque tem essa capacidade. Hoje a demanda pela soja é crescente e o produtor responde a isso ampliando sua área”, afirma presidente da Aprosoja São Paulo, Gustavo Chavaglia.

De fato, em um levantamento prévio realizado pelo Projeto Soja Brasil com as lideranças das Aprosojas estaduais, apontou essa tendência mesmo, crescimento de área em todos os estados, muitos puxados por essa valorização da soja. Confira abaixo!

Mas, vale destacar que assim como a Conab os dados apresentados abaixo não são previsões ainda, já que a safra ainda não começou a ser semeada.

Paraná
O estado prevê uma ampliação de área na ordem de 3% ou menos.

“Algumas consultorias estão apontando para aumento de 3% a 5%, mas esse aumento é restrito. Então não acredito nisso. Minha aposta é que o estado ampliará sua produtividade. Muitos produtores estão apostando na correção de solo e na agricultura de precisão para obter resultados melhores por hectare”, diz o presidente da Aprosoja-PR, Márcio Bonesi.

Minas Gerais
  • O estado prevê uma ampliação de área na ordem de 5%
  • “Esse anos teremos aqui a Abertura Nacional do Plantio da Soja e estamos bastante animados. Acredito em um incremento de até 5% na área de soja este ano no estado”, diz o presidente da Aprosoja-MG, Wesley Barbosa.

Goiás
  • O estado prevê uma ampliação de área na ordem de 4,5%
  • “Acredito que a área plantada com soja do estado poderá crescer até 4,5%. Normalmente crescemos a uma taxa de 3,5%, mas esse ano os altos preços da soja atraíram mais e acredito nesse maior crescimento”, diz o presidente da Aprosoja-GO, Adriano Barzotto.

Rio Grande do Sul
  • O estado prevê uma ampliação de área na ordem de 5%
  • “Esperamos ultrapassar a casa dos 6 milhões de hectares semeados com soja nesta safra, o que pode nos render uma produção acima das 20 milhões de toneladas. Os produtores estão se preparando para esse plantio, apesar de uma previsão de estiagem para esse ano. Mas os produtores estão confiantes”, diz o presidente da Aprosoja-RS, Décio Teixeira.

Mato Grosso do Sul
  • O estado prevê uma ampliação de área na ordem de 6%
  • “Os produtores estão otimistas com esta temporada. Esperamos uma expansão de pelo menos 6% na área, com muitos investimentos nas lavouras”, diz o presidente da Aprosoja-MS, André Dobashi.

Piauí
  • O estado prevê uma ampliação de área na ordem de 10%
  • “A safra passada foi atrapalhada pela demora das chuvas. Inicialmente até prevíamos um aumento nessa ordem de 10%, mas no fim tivemos metade disso. O ritmo de aumento de área no estado ainda é o que chamamos de alucinante, por se tratar de uma fronteira agrícola ainda. A safra foi boa sim, mas esse ano se o clima ajudar, será melhor”, diz o presidente da Aprosoja-PI, Alzir Neto.

Bahia
  • O estado prevê uma ampliação de área na ordem de 3%
  • “Acredito que a área deve crescer um pouco sim, principalmente vindas do algodão. Acredito que no máximo teremos 50 mil hectares a mais, se juntando ass 1,620 milhão de hectares que já são plantadas. Todos os produtores estão investindo bastante em suas lavouras e se o clima ajudar teremos uma safra muito boa”, diz o presidente da Aprosoja-BA, Alan Juliani.

São Paulo
  • O estado prevê uma ampliação de área na ordem de 5%
  • “São Paulo tem aumentado a área em torno de 5% ao ano. Devemos ter para esta alguma migração de pastagens no noroeste do estado e também de reformas de canaviais, por vezes fiduciárias, difíceis de se prever. Mas tudo indica que o estado poderá ter uma grande safra novamente”, diz presidente da Aprosoja-SP, Gustavo Chavaglia.

Mato Grosso
  • O estado prevê uma área plantada na ordem de 10 milhões de hectares
  • “Mato Grosso aumenta área todo ano, umas vezes mais, outras menos. Mas estamos sempre crescendo. Acredito que este ano podemos superar facilmente os 10 milhões de hectares plantados com soja, ainda mais com a rentabilidade que a cultura está apresentando”, diz o presidente da Aprosoja-MT, Antonio Galvan.

Roraima
  • O estado prevê uma ampliação de área na ordem de 50%
  • “Estamos colhendo uma safra ótima agora em 2020. Os preços negociados pela saca estão trazendo boa remuneração aos produtores do estado. Muitos investidores novos estão vindo, e devemos dobrar o tamanho da área plantada em 2021”, diz o representante da Aprosoja-RR, Ermilio Paludo.

Santa Catarina
  • O estado prevê uma ampliação de área na ordem de 3%
  • “Os produtores estão bastante otimistas, até porque os preços estão muito atrativos. Tivemos uma quebra significativa na safra passada em função da seca, mas esse ano o clima promete ser melhor. O produtor sempre é otimista, sempre espera o melhor, e torcemos por isso. Então em outubro já começaremos nosso plantio”, diz o presidente da Aprosoja-SC, Alexandre Domênico.

Tocantins
  • O estado prevê uma ampliação de área na ordem de 8%
  • “O estado sempre aumenta sua área, pois ainda somos uma fronteira agrícola. Os preços em alta só colaboram para essa decisão dos produtores de abrir mais áreas, principalmente as áreas de pastagens degradadas”, diz o presidente da Aprosoja-TO, Maurício Buffon.

Maranhão
  • O estado prevê uma ampliação de área na ordem de 7%
  • “Os preços atuais estão rentabilizando bem os produtores, que veem na soja uma oportunidade maior que no milho. Além disso, a previsão de La Niña amplia a perspectiva de uma safra boa e produtiva para o estado”, diz o presidente da Aprosoja-MA, José Carlos Oliveira de Paula.

Pará
  • O estado prevê uma ampliação de área na ordem de 3%
  • “Nosso estado é muito grande e ainda há muita área para ampliar, principalmente das pastagens que podem virar lavouras. O preço da soja em alta, como vimos nesse ano está atraindo muita gente. Muitos municípios que nem plantavam devem começar esse ano”, diz o presidente da Aprosoja-PA, Vanderlei Ataides.

Por Daniel Popov
Fonte: Canal Rural




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.