Notícias

11/05/2020 - Mercado

China pode mudar composição das exportações agrícolas


A China pode aumentar suas exportações agrícolas para os Estados Unidos de acordo com o acordo da fase um, mas a composição desses produtos pode parecer diferente do que no passado, disse Wendong Zhang, professor assistente e economista de extensão da Universidade do Estado de Iowa. A proteína, principalmente carne de porco e carne bovina, e produtos voltados para o consumidor, como vegetais, frutas, vinho e fórmula infantil, serão dois grupos que terão um crescimento significativo como resultado do acordo comercial. 

A soja, no entanto, não deve ter um aumento significativo, pois a China continua comprando do Brasil e de outros países. As compras nos EUA estão aumentando e sendo comparáveis aos níveis de 2019, mas não excedem isso, disse ele. “A China tem potencial e capacidade para aumentar as exportações agrícolas dos EUA, apesar dos atrasos causados pelo coronavírus”, disse Zhang. “Podemos não ver uma repetição do que temos visto em termos da composição do que estamos vendendo para a China. Este também será um portfólio mais equilibrado quando analisarmos o comércio agrícola dos EUA”, completa. 

A China comprometeu-se a comprar US$ 12,5 bilhões a mais de produtos agrícolas em 2020 em relação a 2017, como parte do acordo da primeira fase que encerrou a guerra comercial China-EUA. O acordo da primeira fase está além da linha de projeção de crescimento, disse Zhang. Desde que a China entrou na OMC em 2011, as exportações agrícolas dos Estados Unidos cresceram de US$ 2 bilhões para mais de US$ 20 bilhões a US$ 25 bilhões por ano. Com o acordo, as exportações devem atingir US$ 35 bilhões este ano e de US$ 50 bilhões a US$ 60 bilhões até 2025. 

Por Leonardo Gottems
Fonte: Agrolink




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.