Notícias

03/06/2020 - Clima

Centro-Oeste: confira as tendências do tempo para inverno e primavera


O inverno no Brasil começa no próximo dia 20, às 18h44. Confira as tendências climáticas para a nova estação no Centro-Oeste e também as indicações para a primavera na região. Vale lembrar que as simulações meteorológicas de longo prazo podem sofrer alterações.

Inverno
A chuva intensificou em maio fechando o mês com precipitações mais fortes que o normal em boa parte dos estados de Mato Grosso, Goiás e Mato Grosso do Sul. Somente áreas do sul e leste de Mato Grosso do Sul receberam precipitação inferior ao normal.

Em junho, ainda há previsão de chuva entre a média e acima da média em algumas áreas de Goiás, Mato Grosso e oeste e sul de Mato Grosso do Sul, mas a precipitação não será das mais significativas. “Em algumas cidades a média de chuva esperada para junho não chega nem a 5 milímetros, como é o caso de Sinop, em Mato Grosso. Portanto, qualquer chuva acima disso já faz superar a média”, explica o meteorologista da Somar Celso Oliveira.

Há expectativa de queda de temperatura na região nos primeiros dez dias de junho, mas, posteriormente, a temperatura ficará acima da média histórica no Brasil central. As exceções são o norte de Goiás e o Distrito Federal, onde esperam-se máximas e mínimas próximas do normal.

Em Mato Grosso do Sul, são esperadas três frentes frias, sendo os dois primeiros sistemas muito próximos, dentro dos primeiros dez dias do mês. Posteriormente, após quase 15 dias de tempo seco, aparece o terceiro sistema, na última semana do mês. As ondas de frio seguem a mesma frequência das frentes frias com maior queda de temperatura logo do início do mês. Na maior parte de junho, esperam-se temperaturas mais elevadas que o normal com máximas na casa dos 34 °C.

Na região central de Mato Grosso, somente a primeira frente fria, no início de junho, terá condições para trazer chuva. A temperatura mínima oscilará entre 18 °C e 21 °C, enquanto a temperatura máxima permanecerá em cerca de 34 °C na maior parte do mês.

Na região central de Goiás, mal há previsão de chuva em junho. O pouco acumulado concentra-se na primeira semana do mês. As madrugadas mais frias serão sentidas também logo no início do mês. As tardes serão quentes e com baixa umidade do ar, com máximas próximas de 30 °C

No Distrito Federal, embora exista previsão de chuva na primeira e na segunda semana de junho, os maiores acumulados acontecerão logo no início do mês. Será a área com maior variação de temperatura mínima e máxima ao longo do mês, daí a previsão de valores mais próximos da média histórica. Algumas madrugadas terão mínimas próximas de 10 °C e máximas de quase 30 °C.

De uma forma geral, à medida que o inverno avança, o tempo se torna mais seco no Centro-Oeste.
A temperatura permanecerá próxima da média no Distrito Federal e norte de Goiás, mas a maior parte da região terá mínimas e máximas mais elevadas que a média histórica.

Em agosto, nada mudará em relação à distribuição de chuvas, que vai continuar inferior à média histórica em todo o Centro-Oeste.

O frio, no entanto, se intensifica em agosto, a exemplo das simulações que mostram o mesmo para o Sudeste. “Na realidade, ainda deveremos monitorar quando o frio será mais intenso: julho ou agosto. Na última atualização da simulação europeia ECMWF, o frio ficou concentrado em agosto, com temperaturas mais baixas no sul de leste de Mato Grosso do Sul e no sul de Goiás”, afirma Oliveira.

Primavera
Para a primavera, os meteorologistas não verificam um atraso muito grande das primeiras chuvas no Centro-Oeste. Na previsão probabilística da Universidade de Colúmbia (IRI) muitas áreas apresentam precipitação dentro da média no trimestre julho-agosto-setembro, muito por conta da precipitação prevista para setembro.

Quando passamos para o trimestre agosto-setembro-outubro, praticamente toda o Centro-Oeste tem previsão de precipitação dentro da média, o que deve colaborar para a instalação da safra de verão. E apenas quando se muda a análise para o trimestre setembro-outubro-novembro, aparece uma área com chuva abaixo da média entre o sul de Mato Grosso do Sul e oeste de Mato Grosso, área que engloba boa parte do Pantanal e Campo Novo do Parecis. Isso indica possivelmente um mês de novembro menos chuvoso no oeste da região.

Além disso, boa parte do Centro-Oeste terá uma primavera mais quente que o normal, mas não tanto quanto a registrada em 2019. Goiás, Distrito Federal e o nordeste de Mato Grosso do Sul terão temperatura dentro da média histórica.

Por Pryscilla Paiva
Fonte: Canal Rural




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.