Notícias

31/10/2018 - Pecuária

Bovinos: Ocepar diz que fim da vacinação no PR facilita acesso a mercados


O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, disse que a decisão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) de antecipar para novembro de 2019 a retirada da vacinação contra a febre aftosa no Paraná é “fundamental” para o setor produtivo ganhar mercado no exterior. “O fato de não sermos livres de aftosa sem vacinação impede o cooperativismo e demais empresas de competir em alguns países que exigem esse status. Esse era um pleito antigo que as entidades e empresas ligadas ao agronegócio estavam defendendo, entre as quais a Ocepar, a Faep e demais representações”, disse ele em nota. “Com a permissão do Ministério da Agricultura, a partir do ano que vem teremos um tempo necessário para realizar a transição, o que vai possibilitar a antecipação em dois anos dessa condição.”

A Ocepar lembra que o Paraná integrava o Bloco V previsto no Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (Pnefa), junto com Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Estados que vão parar de vacinar em maio de 2021. Santa Catarina, que não imuniza mais o rebanho, também faz parte do grupo.

Na sexta-feira, quando foi anunciada a decisão, o diretor do Departamento de Saúde Animal (DSA) do Ministério da Agricultura, Guilherme Marques, disse que na campanha de vacinação de maio do ano que vem os criadores do Paraná ainda deverão vacinar todo o rebanho com idade até 24 meses, conforme determina o calendário nacional de vacinação de bovinos e bubalinos contra a febre aftosa.

Fonte: Estadão Conteúdo/Portal DBO





Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.