Notícias

21/07/2020 - Milho

Avanço da 2ª safra e queda nos preços externos interrompem alta no preço do milho


O avanço na colheita da segunda safra brasileira e as quedas nos preços internacionais e na região dos portos frearam o ritmo de alta nos valores do milho em muitas praças acompanhadas pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Esalq/USP.

O Cepea pontua ainda que, até então, a valorização nos portos vinha sustentando os preços domésticos. No geral, compradores consultados pela instituição estiveram mais ativos nas aquisições apenas no início da semana, no intuito de esperar uma maior entrada de lotes da segunda safra. Muitos também estão recebendo o milho negociado antecipadamente.

Do lado vendedor, os recuos externos e do dólar reduziram o interesse em negociar lotes para exportação. No geral, esses agentes priorizam o cumprimento de contratos, atentos à paridade de exportação.

Diante disso, as negociações têm sido pontuais. Na região de Campinas (SP), consumidores seguem relatando dificuldade logísticas ou atraso em algumas entregas. Entre os dias 10 e 17 de julho, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa fechou a R$ 49,43 pela saca de 60 kg na última sexta-feira (17/7), queda de 1,5% em relação ao dia 10. No entanto, no acumulado do mês, os preços ainda acumulam alta de 1,8%.

Soja
Com demanda firme tanto no mercado interno quanto para os embarques externos, a relação entre o volume estocado de soja e o consumo final em 48,55% pode ser a menor desde a safra 2011/12, segundo o Cepea.

Naquele ano, a produção brasileira foi de 93,73 milhões de toneladas, volume 25,6% inferior à de 2019/20, de 126 milhões de toneladas. Como há uma relação inversa entre estoque e preços, vendedores consultados pelo Cepea se afastam ainda mais do mercado, reduzindo a liquidez interna.

Com o elevado volume já negociado, produtores, por sua vez, estão afastados das vendas, elevando a disparidade entre os valores pedidos por vendedores e ofertados por compradores.

Esse cenário vem limitando a liquidez e sustentando os valores do grão. Entre os dias 10 e 17 de julho, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa da soja no Porto de Paranaguá (PR) subiu 0,12%, indo para R$ 116,00 pela de 60 kg na sexta (17/7). Já o Indicador CEPEA/Esalq Paraná recuou 0,6% no mesmo comparativo, a R$ 108,54 pela saca de 60 kg também na sexta.

Fonte: Globo Rural




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.