Notícias

20/04/2020 - Outros

Ataques de javalis preocupam produtores do Triângulo Mineiro


O javali é uma dor de cabeça para os produtores rurais pelo Brasil. O motivo é que o animal invade fazendas e destrói plantações. No Triângulo Mineiro, os ataques estão fazendo os agricultores desistirem do plantio do milho.

O produtor rural Neysson Maciel de Assis começou a ter problemas há 2 anos. Em 2019, os javalis causaram uma perda de 10% na lavoura do cereal.

"É um tipo de praga que eu já considero incontrolável. Toda estratégia que a gente usa não é suficiente para controlar o dano."

Segundo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Minas Gerais é o terceiro estado com maior presença do animal.

Desde 2015, o Ibama autoriza o abate do javali. Para isso, quem deseja caçá-lo deverá ter uma autorização do instituto. Se você deseja pedir autorização, clique neste link. É importante reforçar que matar um javali ilegalmente, sem autorização, será considerado crime ambiental, com multa entre R$ 1.500 e R$ 2.500 e a proibição de casa por um ano.

"Mediante um cadastro direto no site do Ibama, na verdade, o sistema é chamado Simav. Um produtor ou interessado vai lá, cadastra e é emitida uma autorização de 3 meses pra ele fazer o manejo do javali", explica Rodrigo Herles, chefe substituto do Ibama em Uberlândia.

Mesmo com o abate autorizado, a população deste animal vem crescendo a cada dia. Os javalis não são nativos do Brasil, eles foram criados em cativeiro no país e começaram a se reproduzir sem controle.

O biólogo Pedro de Morais explica que cada fêmea de javali pode ter até 50 filhotes em dois anos. A espécie é onívora, ou seja, se alimenta tanto de vegetais quanto de animais, o que facilita sua adaptação.

Fonte: Globo Rural




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.