Notícias

22/05/2018 - Mercado

Alta do dólar traz renda ao campo, mas pode dificultar planejamento


A alta do dólar traz renda ao campo, aponta para um novo cenário em 2019, mas requer cuidados e dificulta planejamento no setor.

A valorização da moeda dos EUA afeta não apenas o real mas a divisa de vários países. “A pergunta que deve ser feita é qual será a duração dessa valorização”, diz Fernando Muraro, analista da AgRural.

Se for curta, o mercado agropecuário se ajusta. Se for longa, haverá impacto no mercado de commodities.

Dólar em alta exigirá mais dinheiro dos países importadores na compra de commodities, inibindo a demanda.

“Historicamente, as elevações da moeda norte-americana têm sido positivas para a cadeia agropecuária”, diz Fábio Silveira, sócio-diretor da MacroSector. Ele lembra, porém, que o enfraquecimento do real traz elevação de custos para os produtores.

O Brasil é dependente de fertilizantes e de produtos químicos. Pelo menos 60% dos produtores já adquiriram os insumos para a próxima safra. Os outros 40% vão pagar caro por esses produtos.

Dentro da porteira, os agricultores que ainda têm produtos exportáveis serão benefícios a curto prazo, segundo Anderson Galvão, analista da consultoria Céleres.

Há uma preocupação, no entanto, porque a alta não é garantia de renda no ano que vem. Assim como o produtor obtém mais reais na venda da soja, do milho, do café e dos demais produtos exportáveis, ele gasta mais reais para a compra dos insumos para a próxima safra.

A alta do dólar vem sendo provocada por motivos externos, e a estabilidade da moeda dos EUA também vai depender de medidas econômicas externas, segundo Galvão.

O pior dos mundos para o produtor seria pagar os insumos importados a R$ 3,70 ou R$ 4,00 por dólar nos próximos meses e vender a produção a R$ 3,10 a R$ 3,20 no próximo ano, segundo ele.

Fernando Cardore, vice-presidente da Aprosoja-MT (Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado de Mato Grosso), concorda que poderá haver o aumento de receitas no curto prazo. Grande parte da safra, contudo, já foi comercializada a um dólar com valores defasados, afirma.

Para ele, essa volatilidade da moeda dos EUA traz uma insegurança no setor. Ela dificulta as operações de hedge (proteção contra oscilações de mercado) e, consequentemente, até o planejamento.

Para Galvão, a mudança de rumo do dólar afeta inclusive as empresas de insumos, principalmente as que não têm estoques. Vão pagar mais pelos produtos nas importações e terão dificuldades nos repasses em uma eventual redução do valor da moeda norte-americana em 2019.

A valorização do dólar poderá mudar o cenário para a agricultura no próximo ano, dizem Silveira e de Galvão.

O primeiro acredita em um 2019 com um patamar de produção maior, enquanto Galvão refez os cálculos de ocupação de área agrícola no país.

Uma remuneração melhor pelos produtos agrícolas poderá elevar a área de plantio de soja em 1,5 milhão de hectares na safra 2018/19. Neste ano, foi de 34,7 milhões. A previsão anterior era de uma evolução de 700 mil a 1 milhão.

A melhora nos preços do milho vai fazer com que os produtores também deem mais atenção ao cereal.
O aumento de área na safra de verão deverá ser de 500 mil hectares. Na de inverno, o aumento poderá atingir 1 milhão de hectares, segundo Galvão.

Em alta Após sete semanas de queda, o etanol subiu pela segunda vez. De 14 a 18 deste mês, o preço médio do hidratado praticado pelas usinas foi de R$ 1,62 por litro.

Anidro Os dados são do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), que mostra evolução de 6,8% na semana. Já o etanol anidro subiu para R$ 1,74 por litro, 5,5% mais.

Café A illy compartilhará seu know-how sobre práticas agronômicas com ex-guerrilheiros colombianos. A empresa italiana vai adquirir o café dos produtores que atingirem os padrões de qualidade exigidos pela illy.

43% Foi quanto aumentaram as exportações médias diárias de carnes nas três primeiras semanas deste mês, em relação ao mês passado, segundo dados da Secex (Secretaria de Comércio Exterior).

Por Mauro Zafaon 
Fonte: Folha de S.Paulo




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.