Notícias

24/09/2018 - Cana

A importância do viveiro de cana-de-açúcar


Confira informações sobre quando formar o viveiro, como formá-lo e os cuidados fitossanitários necessários na condução do viveiro. Segundo os pesquisadores do Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), viveiro é uma área de produção de cana-de-açúcar destinada ao fornecimento de mudas de alta qualidade agronômica e fitossanitária para formação de novos canaviais, visando à maior produtividade e longevidade de áreas comerciais.

O que é necessário para a formação de um viveiro?
Um bom planejamento e a utilização de materiais de propagação com identidade genética comprovada, garantia de qualidade fitossanitária e alto vigor vegetativo para início do processo são aspectos primordiais para a obtenção de mudas de alta qualidade. Outro aspecto importante é que os viveiros sejam plantados em localidades com disponibilidade de água, próximas às futuras áreas comerciais de plantio, isentos de problemas com pragas, distante de culturas como milho e sorgo e com fácil acesso para a retirada das mudas. Além disso, é fundamental a utilização de variedades mais produtivas e adequadas às condições edafoclimáticas da lavoura.

Quando devo começar a planejar um viveiro? 
O planejamento dos viveiros deve ser iniciado com uma antecedência de 3 a 5 anos, dependendo da quantidade de mudas necessárias para a renovação e expansão de áreas e das técnicas de multiplicação que serão empregadas ao longo do processo.

Quais os materiais de propagação e métodos de multiplicação utilizados pelo mercado?
O processo de produção pode ser iniciado com mudas de meristema, mudas pré-brotadas, colmos ou toletes de 1 a 3 gemas, em função da infraestrutura dos viveiros, recursos disponíveis e taxas desejadas. Para a multiplicação acelerada de variedades de interesse podem ser utilizadas técnicas como MEIOSI, plantio gema a gema, produção de mudas pré-brotadas, entre outros métodos de plantio que possibilitam a obtenção de taxas significativamente superiores às convencionais. Vale ressaltar que boas práticas agronômicas tais como: adubações nitrogenadas, utilização de matéria orgânica, capina e irrigação são operações necessárias para um rápido desenvolvimento do material.

Quais cuidados fitossanitários são necessários na condução do viveiro?
Para garantir a qualidade dos viveiros é imprescindível iniciar o processo com material de propagação que tenha identidade genética garantida, alto vigor vegetativo e qualidade fitossanitária comprovada, utilizando mudas oriundas de cultura de meristema ou de processo certificado. Também é possível partir de colmos, desde que os mesmos sejam submetidos ao Roguing e indexação para as principais doenças. Neste caso, o tratamento térmico de toletes para o controle da bactéria causadora do Raquitismo das Soqueiras é fundamental. Os procedimentos citados na tabela 1 auxiliarão na garantia de sanidade das áreas de viveiros ao longo das multiplicações.

Fonte: CanaOnline




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.