Notícias

15/10/2020 - Cana

10 dicas para um plantio mecanizado perfeito


Os produtores e especialistas da Agroquatro-S Experimentação e Consultoria Agronômica, o engenheiro agrônomo Sérgio Gustavo Quassi de Castro, também pesquisador Fitotecnista e o engenheiro Agrônomo Saulo Augusto Quassi de Castro, doutorando na CENA ESALQ-USP, que adotam o plantio mecanizado há nove anos, dão 10 dicas que garantem um plantio mecanizado de sucesso tanto sob o ponto de vista agronômico, quanto ­econômico.

“É importante destacar que as 10 medidas são essenciais para o bom resultado. Não é possível destacar o melhor ou o menos importante, assim como, a negligência de um ou mais aspectos contribuirão para um plantio mecanizado de qualidade inferior”, destacam os produtores.

1 – Sistematização da área
A realização de uma eficiente mecanização na lavoura canavieira, seja no plantio, colheita ou tratos culturais, está associada a um bom estudo de sistematização, ou seja, definir previamente a necessidade e/ou alocação de terraços, design e comprimento das linhas de plantio. Todos estes pontos contribuirão para bons coeficientes operacionais.

2 – Manejo de preparo do solo e rotação de culturas
É importante avaliar em cada condição edafoclimática, qual a melhor opção de preparo do solo na reforma do canavial, seja via preparo convencional, preparo reduzido, ou até mesmo plantio direto.

A referida decisão se baseia no intuito de haver um solo sem torrões e impedimentos físicos, corrigida a fertilidade em seu perfil. Ajustando a melhor forma de preparo do solo, a adoção da rotação de culturas – leguminosa ou adubo verde, é preponderante para melhoria na qualidade solo, sob o ponto de vista microbiológico, incrementos de carbono orgânico, fixação biológica do nitrogênio e controle de algumas pragas e plantas daninhas.

3 – Variedade de cana-de-açúcar
Fundamental definir qual variedade a ser utilizada como muda no plantio mecanizado. Algumas variedades são mais aptas, outras menos aptas a essa modalidade de plantio.

Algumas apresentam uma germinação mais homogênea, outras são mais lentas, e necessitam de alguns ajustes operacionais. Importante, ter uma muda sadia, sem ataque de pragas e doenças, ereta e jovem (até 7 meses).

4 – Colheita da cana para muda
Um aspecto muito negligenciado, mas que é essencial é ter uma colhedora ajustada para a operação de colheita destas mudas. Ajuste na velocidade de deslocamento, proteção dos constituintes internos e externos da máquina, padronização do desponte da máquina, velocidade do extrator primário (limpeza da cana), ajuste de velocidade dos rolos alimentadores e padronização no tamanho do tolete, são alguns dos aspectos a se considerar.

5 – População e gasto de mudas
Nem sempre um plantio mecanizado sem falhas é o que há maior população de gemas e gasto total de muda (Mega grama gasto de colmos por hectare plantado).

De acordo com o padrão de crescimento e desenvolvimento da cana adotada como muda, é que se deve fazer os ajustes mencionados acima. Desse modo, haverá um plantio mecanizado sustentável sob o ponto de vista econômico.

6 – Monitoramento em tempo real da qualidade do plantio
As avaliações de qualidade do plantio devem ser feitas em tempo real, e não após o término do plantio da área. Assim, saber o gasto de gemas por metro, e a porcentagem de danos nas gemas, profundidade do sulco de plantio e camada de solo sobre os toletes, permite os ajustes e manutenção dos indicadores em um padrão de qualidade agronômica.

7 – Confecção do sulco de plantio
A dimensão e formato do sulco são aspectos chave para que haja uma boa deposição de tolete no solo, sem a presença de “bolsões de ar” ou torrões, havendo assim, maior interface entre o tolete e o solo.

8 – Qualidade na distribuição dos toletes
A ideia de que quanto mais toletes eu jogar, será melhor é um dos primeiros indícios que seu plantio mecanizado não está indo bem. Portanto, a distribuição dos toletes tem que ser algo constante, com fluidez, não havendo espaços no sulco sem a presença de toletes, bem como, distribuição elevada de toletes, irá causar sobreposição desses no sulco de plantio e menor germinação.

9 – Práticas agronômicas no plantio
Considerando as condições edáficas, época e variedade adotada, deve-se realizar uma nutrição equilibrada, fornecendo os nutrientes a cultura, bem como aplicação de insumos (químicos ou biológicos) para a proteção contra pragas e doenças.

A adoção de aminoácidos, substâncias húmicas e hormônios, tem apresentado melhoria na emergência e desenvolvimento das plantas.

10 – Treinamento da equipe e agricultura de precisão
Plantio mecanizado não é correria, não se pode prevalecer o famoso hectare plantado por hora. Deve-se trabalhar em uma velocidade que permita a realização da operação com qualidade agronômica, assim como, a capacitação contínua dos colaboradores é algo fundamental e de conscientização.

Ademais, as técnicas de agricultura de precisão – piloto automático, telemetria, dentre outras, possibilitam que o plantio mecânico ocorra 24 horas por dia, característica essa que emprega alto rendimento operacional, e otimização do plantio na época e clima ideal.

Fonte: RPA News - http://tempuri.org/tempuri.html




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.